A igreja de Nainserá reaberta

Novos horários de abertura, pequeno convento e possibilidade de celebrar missas: isso anuncia Fr. Salem Younes para a igreja de Nain, na Galileia. O Frade franciscano foi, há pouco, nomeado responsável pelo santuário, onde – segundo o Evangelho de Lucas – Jesus ressuscitou o filho da viúva. O vilarejo Nain está localizado na encosta setentrional da montanha GiabalDahi, na Galileia, e tem dois mil habitantes muçulmanos. 

O testemunho de Eusébio de Cesareia indica a presença de uma igreja, já no IV século, mas, após abandonos e reconstruções, foi construída a igreja atual, somente em 1881. 

Após as últimas restaurações, dez anos atrás, a igreja foi fechada, sendo aberta apenas ocasionalmente. O Capítulo da Custódia deste ano decidiu nomear um responsável a fim de que trabalhasse na reabertura da igreja. Assim, de EmaúsAl-Qubeybeh, o Frade da Custódia, Fr. SalemYounes, foi transferido à Fraternidade do Monte Tabor (da qual dependeNain).

«Quando cheguei pela primeira vez aqui, no terreno da Custódia, o mato era alto e havia muita sujeira – conta Fr. Salem - .Tivemomentos de desânimo.Não dormia de noite, tanto meu pensamento estava fixo naquilo que deveria fazer. Compreendi que a primeira coisa a ser feita era limpar todo o terreno ao redor da igreja». A fase seguinte foi a de cercar o terreno, mas o trabalho apenas começou. «Temos o projeto de construir um pequeno convento, a fim de que os Frades possam ali habitar e acolher os cristãos palestinos e peregrinos que muito desejam vir a Nain – continua o Fr. Salem -. Queremos dizer a todos que já agora na igreja não falta nada e está aberta, se alguém a desejar visitar. Por enquanto, nãotemos sacristia e nem paramentos, mas se pode celebrar a missa quando se traz o que é necessário». 

Para o futuro, espera-se que a igreja de Nain possa permanecer aberta todos os dias, como os outros santuários da Terra Santa. Fr. Salem já iniciou a falar com os guias locais e se pôs como referência para todos os que desejam visitar Nain. Nesse meio tempo, no projeto do pequeno convento junto à igreja estão trabalhando dois cristãos de Nazaré e deTarshiha.

«Considero a igreja de Nain como aquele milagre que fez Jesus – afirma Fr. Salem -. Chamo-a “a igreja que, das trevas, será levada à luz”, porque estava sempre fechada, na escuridão, ninguém a via, ninguém a conhecia. Agora, contudo, queremos trazê-la da morte à vida, como o filho da viúva. Esperamos que possa estar sempre aberta e cheia de peregrinos». 

Também a gente de Nain espera, com alegria, a reabertura estável da igreja desde sempre respeitada, tanto que nas vizinhanças da igreja está presente umcemitério muçulmano. « Falei uma vez com o Imã da mesquita, aqui diante da igreja, e com os vizinhos. Eles me contaram por que existe esse cemitério muçulmano – explica Fr. Salem -. Também eles confessaram que aqui aconteceu um milagre de Jesus e por isso sepultaram aqui seus filhos, na esperança da ressurreição. Aorecordá-lo, fico muitotocado!»

Quando foram feitos os primeiros planos, muitos fizeram vídeos e partilharam a notícia da reabertura nos meios sociais. Fr. Salem está seguro: «Se muita gente virá a Nain, também a vida do vilarejo poderá mudar!»

Beatrice Guarrera