Fr. Patton: "Agora precisamos da peregrinação da oração"

"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.", diz o Eclesiastes. Há algumas semanas, relatamos o grande número de peregrinos presentes na Terra Santa: seu crescimento era claramente visível nas ruas e nos santuários.

Algumas semanas após, o cenário e as estatísticas são decididamente diferentes, devido à disseminação do Coronavírus também em Israel e na Palestina. Uma queda drástica, registrada pelo Escritório Franciscano de Peregrinos em Jerusalém: de 12 de março a uma data ainda indefinida, o escritório, localizado dentro do Centro de Informações Cristãs, cancelou todas as missas reservadas pelos grupos de peregrinos em todos os santuários da Terra Santa. Em janeiro e fevereiro, milhares de celebrações ainda foram realizadas; em março, os números caíram para zero.

Fr. Francesco Patton, Custódio da Terra Santa, comenta, assim, a dura realidade que viu os Lugares Santos, normalmente superlotados, esvaziarem-se em pouco tempo.

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm
Custódio da Terra Santa
"É a sensação de um momento dramático, claramente de um momento de emergência, porque essa realidade ocorreu nos últimos anos apenas quando houve momentos de guerra, momentos de perigo físico. Agora, o perigo é devido ao vírus, que está espalhado por todo o mundo e, neste momento, é certo proteger a saúde das pessoas. É certo suspender temporariamente as peregrinações, e também é certo que, sejamos nós a orar nos Lugares Santos, por todos aqueles que não podem visitá-los, por todos aqueles que sofrem devido à pandemia, por todos aqueles que estão dando suas vidas na assistência aos doentes. Esses são lugares que nos trazem de volta ao mistério da salvação e às muitas curas que o próprio Jesus fez."

“Em Cafarnaum - explica o Custódio - até poucos dias atrás, milhares de pessoas eram vistas chegando todos os dias e agora, o lugar está vazio. Mas esse é o lugar onde Jesus restaurou a vida da filha de Jairo, é o lugar onde Jesus curou a mulher que foi atingida pela hemorragia e onde Ele fez aquele belo discurso sobre o pão da vida... lembrando-nos que, aqueles que acreditam Nele e quem O recebe com fé, já está em outra dimensão que, com o vocabulário do Evangelho, se chama vida eterna ”.

Também a Custódia da Terra Santa, assim como já foi feito pelo Papa Francisco, propõe continuar a tornar as celebrações acessíveis via transmissão ao vivo, graças à ajuda da tecnologia.

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm
Custódio da Terra Santa
"Isso permite que as pessoas mantenham contato. Aqueles que estiveram aqui como peregrinos, podem, de alguma forma, rever esses lugares, participar espiritualmente das celebrações realizadas aqui. É essencial que vivamos a dimensão da oração e do mistério que cada um desses lugares carrega dentro de si. Começando pelos mais importantes, como o Santo Sepulcro ou Belém, que está temporariamente fechada. Para nós, é essencial celebrar, rezar, lembrar que Deus veio entre nós em seu filho Jesus e que em Jesus venceu o mal. Mesmo o mal físico, as doenças e, até a morte."

Fr. Francesco Patton propõe outro tipo de peregrinação, uma peregrinação que também pode ser realizada fechados em casa, refazendo os lugares que a palavra de Deus apresenta nessas semanas.

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm
Custódio da Terra Santa
"É importante que façamos uma peregrinação de outro tipo, que é a peregrinação da oração, uma das dimensões muito fortes de uma peregrinação. Uma oração constante, diária e incessante, para que a pandemia cesse . Rezamos incessantemente pelos doentes, pelos enfermeiros, médicos e para as pessoas que sofrem."

 

Christian Media Center