Carta de Nicósia: “Raios de esperança” na tempestade do Covid-19

The Franciscan Friars of Nicosia next to the new bust of St John Paul II, which was revealed and blessed on 16th October 2020
The Franciscan Friars of Nicosia next to the new bust of St John Paul II, which was revealed and blessed on 16th October 2020

Quando havíamos programado os Exercícios Espirituais, de 02 a 06 de março de 2020, em Chipre, não imaginávamos que esse seria o último momento de normalidade na vida comunitária e pastoral (veja: Chipre: uma Igreja a serviço da comunidade). Chipre introduziu as primeiras restrições contra o risco de contágio da Covid-19, no dia 12 de março, e, depois, no dia 24 de março declarou confinamento total no país. Essa notícia não é apenas um dado de crônica, mas serve como fundo à história que lhes desejo contar e que pode ser descrita como história dos “raios de esperança” na tempestade da Covid-19. Esses “raios luminosos” são essencialmente três, e têm seus vultos e seus nomes: Jesus Misericordioso, S. Barnabé e o Papa S. João Paulo II.

No final de 2019, nosso Capítulo conventual havia decidido de continuar os trabalhos de restauração, iniciados há três anos, em nossa igreja da Santa Cruz, em Nicósia. As três restauradoras polonesas da cidade de Cracóvia, que já tinham trabalhado nos anos anteriores, conosco, chegaram a Nicósia no dia 08 de março e começaram a restauração de duas imagens: a de S. Pedro e a de Santo André, no altar lateral feito de madeira, artisticamente elaborado. O lugar vazio do nicho central, no qual, nos últimos anos, havia sido venerado uma reprodução do quadro de Jesus Misericordioso, foi destinado à nova imagem de S. Barnabé, encomendada e esculpida em madeira, na Polônia. Pensávamos benzê-la no dia 11 de junho, na festa de S. Barnabé, patrono principal de Chipre. Mas, as restrições da pandemia impediram-nos a isso, naquela data prevista. Finalmente, a imagem do escultor polonês, Wojciech Pondel, foi benta no domingo, dia 27 de setembro. Uma oração especial a S. Barnabé pela nossa paróquia e para Chipre deram início a uma devoção ao Santo Patrono da ilha que, agora, tem sua imagem em nossa igreja.

As mesmas restauradoras também renovaram o altar lateral da Imaculada. Trabalho encerrado, a estátua da Virgem recebeu novo posto em outro altar, junto à imagem de Santa Lúcia e Santa Teresinha do Menino Jesus. Onde esteve a Imaculada foi pintada nova tela com a imagem de Jesus Misericordioso, obra especifica para esse altar, obra de Justyna Mańkowska, pintora de Varsávia. A bênção da tela foi feita com as portas fechadas, numa celebração online, no dia 26 de abril, Segundo Domingo da Páscoa, chamado também Domingo da Misericórdia divina. Muitos paroquianos e visitantes, preocupados e amedrontados em contagiar-se e obsessionados pelas regras de isolamento, vêm agora diante do quadro e acendem uma vela e com confiança rezam: “Jesus, confio em Ti!”

O terceiro “raio de esperança” é representado pelo busto de S. João Paulo II, que foi desvelado e bento, no dia 16 de outubro, data em que se celebrava o 42° aniversário da eleição de Karol Wojtyła para a cátedra de S. Pedro. Esse projeto foi proposto e promovido pela Embaixada Polaca em Nicósia que, em conjunto com a Nunciatura Apostólica em Chipre e ao convento franciscano da Santa Cruz, quis comemorar o centenário do nascimento de Karol Wojtyła. O busto de S. João Paulo II é em bronze, obra de Wojciech Pondel. A obra está colocada sobre uma base em pedra, com escrita comemorativa em Inglês e se acha no jardim do convento, que está situado na zona neutra (Buffer Zone) de Nicósia, a capital ainda dividida. O lema: “Construí pontes, não muros” exprime bem uma clara mensagem de esperança para Chipre e para o Oriente Médio.

Na mesma ocasião foi desvelada a lápide comemorativa da visita a Chipre do Papa emérito Bento XVI (04-06 de junho de 2010). Neste ano acontece o décimo aniversário dessa histórica peregrinação do Sucessor de S. Pedro na ilha de S. Barnabé. Abaixo do medalhão de bronze, que traz a imagem do Papa Bento XVI, e a medalha comemorativa de sua peregrinação em Chipre, acha-se escrito sobre mármore que evoca a histórica peregrinação em Chipre e a Santa Missa celebrada pelo mesmo Papa Bento XVI na igreja da Santa Cruz, em Nicósia. O texto da lápide retoma uma citação do Papa, que dirige um apelo, atual ainda hoje, aos católicos de Chipre: “Esforçai-vos em construir um futuro melhor para a Igreja e para vossa nação!” Tendo em mente esse convite, creio que podemos chamar essa lápide comemorativa um outro “raio da esperança” no horizonte do ano 2020, atingido pela tempestade do Covid-19.

 

Fr. Jerzy Kraj, OFM,
Guardião da Igreja Santa Cruz,
Nicósia, Chipre