Santa Missa pelo Rei Filipe da Bélgica

Também neste ano foi celebrada a Santa Missa nas intenções do rei Filipe da Bélgica, no domingoapós a Festa de S. Leopoldo, padroeiro do Reino da Bélgica, na presença da consulesa geral da Bélgica, Danielle Haven. Para a Custódia da Terra Santa esses eventos representam, cada ano, um agradecimento pelo que foi feito, no passado e presente, pela França, Bélgica, Itália, Espanha, asquatro nações católicas, protetoras e promotoras das comunidades cristãs da Terra Santa.

Fr. Stéphane Milovitch, responsável pelo Departamento dos Bens Culturais da Custódia, presidiu a celebração. “Somos felizes, hoje, por celebrar a Santa Missa nas intenções de Filipe, Rei da Bélgica, e sua esposa, a Rainha Matilde!” disse Fr. Milovitch ao iniciar a Santa Missa. “Durante esta Eucaristia,rezaremos pelo Rei a fim de que, também ele,possa sentir-se chamado pessoalmente à santidade e possa, assim, reinar sobre seu povo com discernimento; e rezemos também pelo povo belgae, seguindo as indicações do Papa Francisco, rezemos também pelos pobres de todo o mundo”.

Quem fez a homilia foi o Pe.FransBouwen, Missionário na África, o qual iniciou sua homilia com a recordação do Rei Filipe:“Queremos homenagear nosso Rei e todos os seus predecessores, assim como também todos os membros da família real, que marcaram a História, no passado e no presente de nosso país”. O corpo da homilia concentrou-se nas leituras do dia e o comentário do Evangelho, seja em Flamengo, seja em Francês. “Temos necessidade de todos e todas a fim de construir um mudo melhor a fim de enfrentar as profundas divisões que ameaçam nosso mundo e nossa sociedade: nacionais, religiosas e culturais, diferenças entre ricos e pobres!” concluiu o Pe. Bouwen. “Estamos assistindo a uma mundialização que abre novas perspectivas de futuro, mas que, ao mesmo tempo, desperta egoísmos profundos e ameaça as culturas minoritárias assim como os povos e classes menos favorecidas. É importante que todos nós possamos sonhar em conjunto e trabalharmos em conjunto”.

 Seguindo a tradição, no fim da celebração eucarística, foi feita a oração pela família real, alguns minutos antes do hino nacional belga, tocado pelo órgão, marcando fim da celebração da Santa Missa. “Agradecemos à Custódia por haver organizado essa celebração!” disse o cônsul Haven. “É importante, neste tempo, procurar permanecermos ligados às tradições e dar forças às pessoas, também através de mensagens expressas durante a celebração. Sou pessoalmente grato pelo fato de que, mantendo todas as medidas de segurança, tenha sido possível a celebração dessa missa e conseguimos dar um sinal de continuidade!”.

 

Giovanni Malaspina