Santo Antônio, o Patrono da Custódia, celebrado em Jerusalém

Cada ano, no dia 13 de junho,faz-segrande festa no convento S. Salvador, em Jerusalém, centro dos Franciscanos da Terra Santa: celebra-se Santo Antônio de Pádua, patrono da Custódia. Contar com a proteção desse Santo foi sempre um constante na História franciscana, mas apenas em 1920 o Papa Bento XV proclamou-o Patrono da Custódia. À distância de exatamente cem anos, a solenidade neste ano foi iniciada com as Primeiras Vésperas, no dia 12 de junho,presididas pelo Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton.

O Custódio, em sua homilia, quis partilhar algumas reflexões de Santo Antônio sobre o Corpo e Sangue do Senhor, haja vista a concomitância com a solenidade Corpus Domini, na mesma semana.“Receber o Corpo e o Sangue do Senhoré receber o dom maior que existe, aquele capaz de transformar nossa pessoa e nossa existência” – afirmou Fr. Patton. Por isso, deixemo-nos incitar por Antônio para, mais uma vez, colocar Jesus no centro de nossa vida e deixemo-nos estimular por Santo Antônio a viver umaautêntica vida eucarística, na qual o dom recebido nos torne capazes de nos doar aos outros; o perdão recebido nos transforme em apóstolos da misericórdia e da reconciliação, e o amor experimentado  e acolhido nos torne, finalmente, capazes de fazer de nossa vida um canto e um dom de amor”.

Momento importante foi o da distribuição do Pão de Santo Antônio, como é tradição, em recordação da caridade do Santo para com os pobres.

“Celebramos hoje, apesar da pandemia Covid-19, com alegria e solenidade, a Festa de Santo Antônio de Pádua, proclamado patrono da Custódia da Terra Santa, há exatamente cem anos, pelo Custódio Fr. Ferdinando Diotallevi, com a aprovação do Discretório, no dia 12 de junho de 1920”.Assim Fr. Francesco Pattonrecordou na homilia da missa solene de 13 de junho, celebrada na igreja S. Salvador, exatamente onde a Custódia foi consagrada a Santo Antônio. Quando os Frades invocaram a proteção do Sant, eram tempos difíceis, “havia o risco da própria sobrevivência da Custódia – afirmou o Custódio– e, ao invés, daí em diante, aconteceu um florescimento, testemunhado pela reconstrução de boa parte dos Santuários que guardamos e do nascimento de uma instituição prestigiosa como a do StudiumBiblicumFranciscanum na Flagelação e o nascimento da revista da Terra Santa.Há cem anos, estamos ainda aqui, podemos dizer, graças a Santo Antônio, que continua a interceder por, junto “ao Altíssimo, Onipotente e Bom Senhor” e a ser instrumento da proteção do Senhor sobre a Custódia!”

Fr. Patton sublinhou como a pandemia, ainda em curso, não colheu vítimas entre os Frades da Custódia e, em grande parte, poupou também as populações a quem servimos.“No começo de março, havia convidado a todos os Frades da Custódia recitar diariamente a oração a Santo Antônio, que recitamos por ocasião da renovação do voto, adotado à atual pandemia – continuou -. Não é ato supersticioso e ingênuo, não nem menos devoção anacrônica e fora do tempo, é, ao contrário, ato de fé na comunhão dos santos, é expressão de uma consciência de que os santos, como nos recorda o Prefácio do dia primeiro de novembro, os santos nos são dados como amigos e modelos de vida!”

A devoção a Santo Antônio é muito difundida também entre os paroquianos de S. Salvador, a tal ponto que, cada ano, nesta solenidade, são abençoadas as crianças da paróquia, que que são vestidas com pequeno hábito franciscano, por voto de seus pais.O mesmo hábito é, depois, doado à outra criança para que o vista durante todo o ano seguinte.Neste ano, não foi realizado o costumeiropequeno rito, mas a oração da Custódia foi, como sempre, por todas as pessoas que encontram os Frades em seu ministério e que se confiamà intercessão do Santo.No final da missa, o Custódio pronunciou, diante da imagem do Santo, a oração da consagração da Custódia a Santo Antônio.

A festa de Santo Antônio também é muito importante para a Paróquia de Santo Antônio, em Jafa, onde foi celebrada  na tarde de 13 de junho, com Missa Campal na praça da igreja. A Liturgia foi presidida pelo Custódio da Terra Santa, Fr. Francisco Patton, OFM e concelebrada pelo Pároco Fr. Augustín Pelayo Fregoso. Vários paroquianos árabes, indianos, filipinos, africanos, latino americanos e polacos participaram dessa Missa. Todos juntos, com alegria, festejaram Santo Antônio.

 

 

Beatrice Guarrera