Começa o Advento na Terra Santa

O tempo de preparação ao Natal também iniciou na Terra Santa. No dia da vigília do primeiro Domingo do Advento, sábado, 27 de novembro, o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, fez seu ingresso solene em Belém, como é tradição, inaugurando assim este tempo de espera do Salvador. 

A jornada começou em Jerusalém, no convento S. Salvador, onde o Custódio encontrou-se com um pequeno grupo, representando a Paróquia latina e o pároco Fr. Amjad Sabbara. 

O Custódio da Terra Santa, acompanhado pelo seu Vigário, Fr. Dobromir Jasztal, deixou, então, o convento para ir a Belém, respeitando as etapas tradicionais ao longo do caminho que leva a Belém. Diante do mosteiro grego-ortodoxo de Mar Elias, o cortejo se deteve a fim de saudar as autoridades civis e religiosas de Beit Jala e, depois, atravessou o muro de separação dos territórios israelenses e palestinos, através do checkpoint, junto ao tumulo de Raquel, aberto nessa ocasião especial.

Em Belém, Fr. Francesco Patton foi acolhido por grupos de escoteiros em festa que, ao som das gaitas de fole, percorrendo a tradicional Via da Estrela, uma rua histórica de Belém, um tempo centro da vida dos cristãos locais e, hoje, está se esvaziando sempre mais por causa da maciça emigração. 

Diante da Basílica da Natividade, onde se conserva a memória do nascimento de Jesus, o aguardavam os três representantes das Igrejas cristãs que administram o santuário (latinos, gregos-ortodoxos e armênios), como o estabelece o Status Quo. Entre eles também o Guardião do convento franciscano de Belém, Fr. Enrique Segovia. 

“Pedimos a graça de viver este tempo de Advento como tempo de espera do encontro mais importante de nossa vida, que é o encontro com o Senhor - disse Fr. Patton – e, enquanto procuramos manter viva a esperança, também procuremos manter vivas a solidariedade, o amor fraterno, a proximidade divina”. 

Fr. Rami Asakrieh, pároco da Paróquia latina de Belém, quis exprimir o próprio agradecimento ao Custódio: “Muitas vezes, nos encontramos diante dos males deste mundo, como a falta de recursos, desastres naturais, doenças. No meio disso, nós nos perguntamos: “Onde está Deus?” A tua presença, Padre Custódio, nos recorda a figura dos profetas do Antigo Testamento, quando chegavam entre as pessoas desesperadas, trazendo a voz de Deus. Tua voz nos assegura que Deus está conosco. A pergunta que devemos fazer a nós é: Estamos nós com Deus?” Para responder, segundo o pároco de Belém, devemos começar este tempo do Advento como tempo de conversão, sabendo que “Deus é capaz de transformar o mundo da gruta apertada e limitada um lugar onde se sentam os anjos para glorificar a Deus!”

Na primeira fila, na igreja, também as autoridades locais, entre as quais o Prefeito de Belém Anton Salman.

Com a celebração das Primeiras Vésperas do domingo, entrou-se oficialmente no Tempo do Advento e, depois delas, a procissão à Gruta da Natividade. Ali foi acesa uma vela, como gesto simbólico que será feito cada sábado do Advento, até a chegada do Natal.

Domingo, dia 28 de novembro, o Custódio da Terra Santa voltou a Belém a fim de presidir a missa solene na igreja latina de santa Catarina, na presença dos paroquianos, do pároco Fr. Rami Asakrieh e de seu vigário Fr. Antonios Habib, que fez a homilia. 

O Evangelho, disse o Custódio, deve ajudar-nos a ler as dificuldades do tempo presente, com perspectiva de esperança: “É esta esperança que nos impulsiona, como os primeiros cristãos, a crescer e amar-nos mutuamente. É essa esperança que deu a Santa Catarina de Alexandria a coragem, a força, de oferecer sua vida e morrer pelo nome de Jesus Cristo!” 

 

Beatrice Guarrera