Primeiro Domingo de Advento: capazes de acolher Jesus

Após 1400 anos, neste ano, o ingresso solene do Custódio da Terra Santa na Basílica da Natividade, no Primeiro Domingo do Advento, assume significado novo, graças ao retorno do fragmento da Relíquia do Sagrado Berço a Belém.

Como é tradição, no sábado de manhã, os fiéis da Paróquia S. Salvador e alguns representantes da quase-Paróquia de BeitHanina foram recebidos no salão divã do convento S. Salvador pelo Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton. Durante o encontro, o filho do últimoMoukthar (representante dos paroquianos locais) tomou a palavra a fim de recordar seu pai e agradecer à Custódia e aos Franciscanos pela vizinhança para com os cristãos locais.Em seguida, falou o Pároco Fr. AmjadSabbara, que sublinhou a importância do encontro anual que recorda não somente a relação filial dos paroquianos para com o Padre Custódio, mas, neste ano, - disse o Pároco, referindo-se à Relíquia – estamos felizes por termos a ocasião de iniciar o Advento com o sinal do presépio, que recorda os temas humildade e pobreza”. Fr. Pattonagradeceu aos paroquianos por sua presença e recordou Moukthar, que por tantos anos nos acompanhou em cada ocasião e, também ele, referiu-se à Relíquia do Sagrado Berço, dizendo: “O Berço recorda-nos o que deveria ser o coração de cada cristão: lugar simples, humilde, capaz de acolher Jesus. Si, podemos acender luzes, dar e receber presentes, mas se o Berço estiver vazio, falta-nos o essencial”!

Depois dos augúrios, o Custódio e umaDelegação de Frades dirigiram-se ao mosteiro ortodoxo de Mar Elias, ao longo da via a Belém.Nesse lugar, o cortejo foi acolhido pelos fiéis e pelo Pároco de BeitJala, subúrbio de Belém, situado logo depois do checkpoint de Israel. Após ter beijado a relíquia, recomeçou o percurso à Basílica da Natividade, passando junto à tumba de Raquel, pela abertura que possibilita entrada e saída apenas em três ingressos solenes: Primeiro Domingo do Advento, Natal e Epifania.

Entrando em Belém, a Delegação percorreu a Via da Estrela, acompanhada pelos escoteiros em festa, rodeados por crianças da escola, vindas para ver o grande evento. Chegados à praça, diante da Basílica da Natividade, iniciaram-se as celebrações religiosas, respeitando sempre o Status Quo: primeiramente, o Ingresso solene precedido pelas saudações daspersonalidades civis e os representantes de outras confissões, presentes diante da Porta da Humildade;em seguida, a oração das Vésperas Solenes, presididas pelo Custódioe, por último, o Ofício das Leituras com o Guardião do convento franciscano de Santa Catarina, em Belém.

“É alegria, no início do Advento, levar a Belém um fragmento do Sagrado Berço, no qual a Virgem Maria depositouo Menino Jesus!” – começou dizendo o Custódio, durante a homilia. Então o Custódio explicou publicamente que tinha sido o Presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, a pedir ao Papa Francisco a doação da Relíquia para o período do Natal, mas por causa da fragilidade da mesma, o Santo Padre achou melhordoar um fragmento do Berço. “Após 1400anos”- continuou o Custódio – umfragmento volta ao lugar de onde partiu!”Logo depois, foi acesa a Primeira Vela do Advento, com chama trazida da lanterna da Capela da Manjedoura. Nessa, por alguns instantes, foi colocada a Relíquia, que, em seguida, foi colocada numa teca, conservada na igreja paroquial Santa Catarina.

“A presença da Relíquia enriqueceu o início do Advento” – disseFr. Rami Asakrieh (Pároco de Belém)- “para o povo da Paróquia e o povo palestino. Numa situação política e econômica opressora e complexa, é sinal de Deus. Parece-me que Deus deseja manifestar-se mais uma vez em nosso meio para dizer-nos de não termos medo e rezar. Parece que nos sugere um só caminho: sermos fortes com aquilo que enfrentamos, tendo Deus em nosso coração!”

Giovanni Malaspina