Em oração pelos benfeitores da Terra Santa e por todo o mundo

Ha poucos dias após as celebrações da Semana Santa que fazem memória a paixão, morte e ressurreição de Jesus, neste dia 20 de abril, na terceira semana de Páscoa, Fr. Francesco Patton, Custódio da Terra Santa, presidiu a Missa no lugar mais sagrado para todo o Cristianismo, no lugar onde Jesus com sua morte e ressurreição venceu o pecado e a morte.

A Missa foi celebrada dentro da Edícula do Santo Sepolcro na Capela do Anjo que segundo a narração do Evangelista São Mateus, o anjo estava sentado na pedra que fechava o túmulo e apareceu às mulheres para lhes anunciar a ressurreição.

O Custódio recordou que na basílica do Santo Sepulcro, os franciscanos são os guardães do lugar geográfico da reconciliação entre Deus e os homens e comentou os dois ensinamentos fundamentais das leituras do dia: o Evangelho de João nos lembra que Jesus é o Pão da vida e dá vida no mundo; São Lucas nos Atos dos Apóstolos nos fala sobre o martírio de Estêvão e nos ajuda a compreender que no testemunho do discípulo o testemunho de Jesus, o Mestre, se atualiza.

A consagração é feita no Túmulo onde foi colocado o corpo de Jesus.Uma celebração especial oferecida a todos os benfeitores da Terra Santa

FR. FRANCESCO PATTON, ofm
Custode da Terra Santa
"O significado desta celebração é rezar pelos benfeitores da Terra Santa. Sabemos que sem o apoio de cada um, seria impossível cumprir a missão, que beneficia a comunidade local e também os peregrinos quando puderem regressar. Sentimos uma dívida de gratidão para com todos os benfeitores. Sentimos que é um dever de gratidão celebrar para quem nos ajuda, aqui no lugar mais sagrado para o cristianismo. Aqui rezamos para quem nos sustenta economicamente e nos permite levar avante a missão que a Igreja nos confiou."

A oração do Custódio da Terra Santa e dos Franciscanos foi também pelos países que sofrem com a pandemia

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm
Custódio da Terra Santa
"Certamente sentimos o dever de orar por quem sofre. De alguma forma, aqui em Jerusalém, estamos em uma fase de superação, de ressurreição, saindo desta pandemia. Mas sabemos que há países que ainda sofrem muito. Países como o Brasil, a Índia que estão sofrendo terrivelmente ,em todo o mundo. Rezar pelos enfermos aqui no lugar da Ressurreição tem um valor particular porque ilumina com a esperança da Ressurreição, com a força da fé e com a virtude da esperança o caminho que esses países ainda estão fazendo para sair da pandemia."

O Custódio também rezou pelo retorno dos peregrinos e pelos cristãos de todo o mundo

Fr. FRANCESCO PATTON, ofm
Custódio da Terra Santa
"É una bela experiência celebrar no túmulo de Jesus porque ajuda os cristãos de todo o mundo a compreender que a celebração eucarística é sempre memória da Páscoa."

 

Christian Media Center