Dominus Flevit: primeira peregrinação da Quaresma

O dia 20 de março é a jornada que, neste ano, representa para a Custódia da Terra Santa o início das tradicionais peregrinações quaresmais aos lugares da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo.

O primeiro Santuário a ser visitado é a igrejinha Dominus Flevit, na encosta ocidental do Monte das Oliveiras. Dominus flevit significa “O Senhor chorou”. Segundo a tradição, foi aqui que Jesus chorou ao ver a Cidade Santa e falou aos seus discípulos sobre o fim de Jerusalém e do mundo (Mt 24; Mc 13 e Lc 21). A memória, celebrada nesse local, é narrada também nas memórias da peregrina Egéria, que remontam ao fim do século quarto, a qual cita uma celebração litúrgica que aconteceu nesse local na Quarta-Feira Santa. O atual Santuário, construído em 1956, como em diversos lugares da Terra Santa, é obra do Arquiteto Antônio Barluzzi, que o projetou em forma de lágrima, exatamente para recordar a tristeza, traduzida em choro, sentida pelo Filho de Deus no momento em que profetiza o futuro da Cidade Santa.

Exatamente o Monte foi centro importante para a memória dos primeiros cristãos: no passado podiam ser vistos tanto os restos da antiga cidade santa destruída como parte da nova Jerusalém ainda em construção por obra dos romanos. Nos fins de 1800, os franciscanos adquiriram esse terreno, situado próximo à mesquita El-Mansuriyyeh, já em desuso naqueles tempos, e ali surgiu o que, atualmente, faz memória do acontecimento.

"Nesse local, como Jesus, estamos diante da Cidade Santa", comentou Fr. Ramzi Sidawi, Ecônomo da Custódia em sua homilia, "e somos convidados, como Ele, a nos mergulhar nos mistérios da Semana Santa até cehgar à Ressurreição. Mergulhemo-nos, aqui, no mistério de Deus e caminhemos com Ele até ao fim".