Da igreja S. Salvador ao Cenáculo: Pentecostes em Jerusalém

    As celebrações para a festa de Pentecostes, em Jerusalém, iniciaram na igreja S. Salvador. Domingo, 31 de maio, o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, presidiu a missa solene, na igreja situada na parte cristã da Cidade Velha de Jerusalém. No convento, ao qual se transferiram os Frades franciscanos da Terra Santa, após serem expulsos do Cenáculo, em 1551. À igreja desse convento foram concedidas, em 1561, pelo Papa Pio IV, as mesmas indulgências que haviam sido concedidas, em 1561, a quem se dirigisse ao Cenáculo (descobre mais sobre a igreja São Salvador). Durante a missa de Pentecostes deste ano, a família franciscana da Custódia da Terra Santa teve a alegria de confiar a 14 Frades o ministério de Leitor e a 15, o ministério de Acólito. 

    “Hoje, celebramos e atualizamos a descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos reunidos em oração no Cenáculo, juntamente com Maria. E nesta festa, ao refletir sobre o que o Espírito Santo opera na vida do cristão e da Igreja, aprendemos que o Espírito é essencial para a vida do cristão e da Igreja, para a vida de cada um de nós”, recordou o Custódio em sua homilia! Fr. Francesco Patton, depois, explicou os símbolos das leituras, a fim de fazer compreender o significado do Espírito: o símbolo do vento, do hálito, do fogo, o símbolo das línguas soltas, capazes de compreender. “O Espírito opera notável diversificação dentro da Comunidade cristã e, ao mesmo tempo, uma profunda unidade - afirmou o Custódio. A diversidade de línguas, de dons, de sensibilidades, de papéis, de funções, etc. não é algo que faz explodir a Igreja como explodiu a humanidade enquanto construía, de maneira orgulhosa,  a torre de Babel, mas algo que, graças à ação do Espírito, a consolida, a torna viva, bela, a faz corpo, a faz relação de amor à imagem da Trindade. Também os ministérios de Leitorado e de Acolitado, que hoje foram confiados a vós, jovens confrades, estão dentro dessa perspectiva. Aquilo que recebestes não é promoção de carreira, mas é dom que vem do Espírito e que deve servir ao crescimento da Igreja”. (Aqui, a homilia completa).

    Depois do meio-dia, foi o momento das Vésperas no Cenáculo, presididas pelo Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton. Os católicos podem fazer orações, oficialmente, no Cenáculo, duas vezes por ano, pois o esse Lugar Santo ainda está no centro de controvérsias com o Estado de Israel quanto ao reconhecimento de propriedade da Custódia. A propriedade é, na verdade, reivindicada pelos Franciscanos, que a receberam em 1333, como presente dos soberanos de Nápoles, mas foram expulsos de lá em 1551 pelos otomanos. Os Frades vão rezar ali na Quinta-Feira Santa, dia em que se recorda a Última Ceia, e no dia de Pentecostes. Também na celebração de Pentecostes, os Frades subiram à sala, na qual desceu o Espírito Santo sobre os apóstolos e espalharam incenso perfumado. 

    “Para nós Franciscanos, este é o lugar, a partir do qual a Igreja confiou a missão de custodiar os Lugares Santos – explicou o Custódio -. Aqui se encontra a primeira sede da Custódia da Terra Santa. O Espírito Santo torna possível, ainda hoje, a missão da Igreja e nossa missão. Neste lugar de Pentecostes, pedimos que Deus envie de novo o Espírito Santo à Igreja desta Terra Santa, para os povos que nela habitam, para nossa missão, enquanto Custódia”.

 

 

Beatrice Guarrera.