Belém – Campo e Gruta dos Pastores

A aldeia árabe Beit-Sahur, localizada nos campos de Booz, citados no livro de Rut (Rt 3,5), foi identificada pela tradição como o Campo dos Pastores, a saber, o lugar onde aconteceu o anúncio do nascimento de Jesus aos pastores pelos anjos. 

A moderna cidadezinha Beit-Sahur encontra-se a sudoeste de Belém, a 600 m acima do nível do mar, e conta ao redor de catorze mil habitantes. Hoje, Belém e Beit-Sahur se tocam, uma parece parte da outra. O espaço urbano alargou-se a ponto de ocupar os antigos prados que rodeavan a área urbana, por issso não resta quase nada visível dos “Campos dos Pastores” dos Evangelhos. 
De lugares identificados como tais, hoje restam dois: aquele do rito latino, ao Norte do centro histórico, e aquele grego a sudoeste. As duas localidades, 500 m uma da outra, surgiram sobre restos de complexos monásticos bizantinos, que por sua vez integravam estabelecimentos precedentes. Inútil pegar a Bíblia ou as antigas narrações de peregrinos a fim de compreender onde estavam acampados os pastores. 

Já S. Jerônimo (morto em Belém, ao redor do ano 419) fornecia indicações sobre o local em que teriam vigiado os pastores durante a Noite santa, chamando-o Migdal Eder (Torre do Rebanho). A narração de Jerônimo faz deduzir que, no quarto século, junto ao Campo dos Pastores, era venerado o lugar do anúncio levado pelos anjos. Mais ao alto quanto à atual capela também foram encontrados restos de uma torre, provavelmente da tal Migdal Eder.

Muito mais tarde, em 1858, no vale, entre as alturas rochosas, um funcionário da Embaixada francesa, Carlo Guarmani, descobriu restos de um mosteiro sobre a colinazinha de Khirbat Siyar al-Ghanam (rovinas do recinto de ovelhas). Empreendeu, então, escavações e afirma ter encontrado os três “sepulcros dos pastores”, citados pelo Bispo peregrino Arculfo, ao redor do ano 680, junto à igreja do Campo dos Pastores, assim aquele devia ser o autêntico Campo dos Pastores. Entre 1889 e 1906, os franciscanos conseguiram adquirir o terreno e levar avante as pesquisas arqueológicas, mas escavações sistemáticas foram feitas apenas em 1951-52 pelo Frei Virgílio Corbo.
Resultou que se tratava de ruínas pertencentes ao mosteiro edificado ao redor do ano 400 d.C., aumentado e, em parte, refeito no sexto século e sobreviveu até o ano 800. Os espaços principais, em especial as grutas, foram utilizadas para atividades agrícolas. No quarto, que servia de forno de pães, foram encontradas duas invocações e duas figuras do Gólgota, que infelizmente não foram conservadas. A igrejinha do mosteiro, reconstruída duas vezes, elevava-se sobre aterramento inferior, no ângulo norte oriental, num lugar inacessível. 

É, em todo o caso, confirmado que a altura era habitada e desfrutada já no tempo de Jesus: nas cavidades foram encontradas cerâmicas do tempo de Herodes e moedas da época dos primeiros Procuradores Romanos e da Primeira Guerra Judaica.

Em 1953, os franciscanos, segundo o projeto do Arquiteto italiano Antônio Barluzzi, fizeram construir, pouco fora do vilarejo, com a contribuição de benfeitores candenses a capela Sanctorum Angelorum ad Pastores (dedicada ao anúncio dos santos anjos aos pastores), que tem a forma de uma tenda de pastores nômades, montada por pequena cúpola estrelada. Os afrescos, que reproduzem a narração evangélica de Lucas, enfeitam as três capelas internas.
Também a gruta, que se encontra atrás da pequena igreja, pode ainda ser utilizada para Liturgia. Na cavidade natural não foram encontrados sinais de antiga devoção, mas é tanta a devoção que esse lugar atrai aos corações que até outras grutas foram adaptadas para isso. Em todo o caso, é fora de dúvida que, antigamente, essas grutas fossem verdadeiramente usadas pelos pastores.
A ampla zona arqueológica é visível. Em várias áreas foram colocados altares e espaços para a celebração de missas, assim que, sobretudo na noite de Natal, vários grupos têm a possibilidade de celebrar a Eucaristia ao mesmo momento, em ambientes correspondentes.
A igreja paroquial dos cristãos de rito latino (projeto de Barluzzi) foi inaugurada em 1950, dedicada a Nossa Senhora de Fátima.
 

Naquele área se encontram grutas, cavidades escavadas em rocha calcária, usadas como moradia no período herodiano-romano. 
Se tratava muito possivelmente de um pequeno vilarejo agrícola. Foram também encontrados neste lugar, restos de moinhos antiquíssimos e outros sinais da vida de então. Os franciscanos transformaram estas grutas em pequenas capelas, muito características.


"Tu, che sei la luce delle genti e il maestro della santità, 
illumina i nostri passi con la luce della tua parola.
"

O anúncio aos pastores

Naquela região, havia pastores, que viviam nos campos e montavam guarda durante a noite, junto a seu rebanho. Um anjo do Senhor se apresentou diante deles, a glória do Senhor os envolveu de luz e eles ficaram tomados de grande temor. O anjo lhes disse: “Não tenhais medo, pois eis que venho anunciar-vos uma boa nova, que será uma grande alegria para todo o povo: Nasceu-vos, hoje, na cidade de Davi, um Salvador, que é o Cristo Senhor e eis o sinal que vos é dado: achareis um recém-nascido envolto em faixas e deitado numa majedoura. De repente, apareceu uma multidão da milícia celeste que cantava os louvores de Deus e dizia: «Glória a Deus no mais alto dos céus e sobre a terra paz para os seus bem-amados”.
Ora, quando os anjos os deixaram, indo para o céu, os pastores disseram entre si: “Vamos, pois, até Belém e vejamos o que aconteceu, o que o Senhor nos deu a conhecer”. Eles foram para lá apressadamente e encontraram Maria, José e o recém-nascido, deitado numa manjedoura. Depois de ter visto, deram a conhecer o que lhes tinha sido dito a respeito do menino. Todos os que ouviram ficaram espantados com o que lhes diziam os pastores. Quanto a Maria, ela retinha todos esses acontecimentos, procurando-lhes o sentido. Depois, os pastores voltaram, cantando a glória e os louvores de Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, segundo o que lhes fora anunciado (Lc 2,8-20).

Salmo 
Sal 85 (84): O Senhor anuncia a paz para o seu povo.



Leitura
Os pastores encontraram Maria, José e o menino(Lc 2,8-20), o alegre anúncio aos pobres (Is 61,1-3), Deus escolheu o que no mundo é ignóbil e desprezível(1 Cor 1,19-31.


Preces e orações
Cristo veio para que a criação fosse libertada da corrupção do pecado e da morte e pudesse alcançar a liberdade de filhos de Deus. Encorajados na fé, invoquemos o seu nome: Vós que existis para sempre e vos fizestes homem no tempo, pelo mistério de vosso nascimento, renovai a nossa humanidade. Vós que sois a luz dos povos e mestre da santidade, iluminai os nossos passos com a luz da vossa palavra. Verbo de Deus, que vos fizestes homem no seio da Virgem Maria, dignai-vos habitar em nossas almas, mediante a fé e a graça.
Oremos
Oh Pai! Vós que quisestes fazer conhecer de modo admirável por meio do Anjo, o nascimento de vosso filho aos humildes pastores, concedei a nós, que professamos a fé na vossa encarnação, de participar em vossa vida imortal. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

+972 2 2754469

Abertura
Verão 
De Segunda a Sábado: 8h às 17h
Domingo: 8h às 11h30min / 14h às 17h

Inverno
De Segunda a Sábado: 8h às 17h30min
Domingo: 8h às 11h30min / 14h às 17h