Tiberíades: celebração da Cátedra de S. Pedro

Na manhã de sábado, 20 de fevereiro, na igreja de S. Pedro, em Tiberíades, foi celebrada a Festa da Cátedra de S. Pedro.

O tanger dos sinos deu início à celebração, presidida pelo Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton. Presentes também o Padre Giuseppe De Nardi, Moderador geral da Koinonia João Batista; o Padre Andrej Keller, Pároco de Tiberíades e responsável pela comunidade ali residente; Fr. Sérgio Olmedo Flores, do convento da Visitação de Ain Karem; Fr. Melanius Jordan Sesar, Mestre dos filósofos do Seminário em Ain Karem, acompanhado por alguns Frades do Seminário.

Tomaram parte na celebração irmãos e irmãs consagradas da Comunidade Koinonia João Batista e alguns paroquianos de Tiberíades, cujo número foi menor do que nos anos precedentes, por causa das restrições devidas à pandemia. 

Na homilia, o Padre Custódio comentou o episódio evangélico, detendo-se sobre a figura de Pedro, sobre a sua profissão de fé e sobre o ministério confiado à Igreja. Pedro, fazendo-se porta-voz dos discípulos, respondeu à pergunta pessoal de Jesus: “e vós o que dizeis que eu seja?”, afirmando: "Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo”! 

Pedro, guiado pelo dom da graça do Pai, através do Espírito Santo, afirma que Jesus é o Messias enviado pelo Pai e esperado através dos séculos. Nessa profissão de fé, antiga dois mil anos, funda-se nossa fé e dessa afirmação nasceu a própria Igreja. Como nos recordam as palavras do Evangelho segundo Mateus: Tu és Pedro e sobre essa pedra edificarei minha Igreja e as portas dos infernos não prevalecerão sobre ela. A ti darei as chaves do Reino dos Céus, e tudo o que ligares sobre a terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares sobre a terra será desligado nos céus”. Assim, apesar das perseguições internas e externas, através dos séculos, a Igreja continua a levar avante esse ministério pelos sucessores de Padro, aos quais Cristo confiou as chaves do Reino dos Céus, símbolos do cumprimento da reconciliação confiada à Igreja.

A celebração foi encerrada diante da imagem de S. Pedro com uma oração pelo Papa Francisco, chamado a viver e exercitar o ministério de Pedro na Igreja.

 

Cristina Lunardi