Seis novos diáconos franciscanos em Jerusalém

Enquanto em todo o território inicia a reabertura de diversas atividades e áreas, após a emergência de Covid-19, domingo, dia 24 de maio, na igreja S. Salvador, seis Frades franciscanos foram ordenados diáconos:Fr. Allan, Fr. Andrja, Fr. George, Fr. Gerson, Fr. Pascal, Fr. Paulo receberam o ministério do Diaconato por imposição das mãos de S.E. Mons. Frei Pierbattista Pizzaballa, Administrador Apostólico do Patriarcado Latino de Jerusalém, que presidiu a celebração eucarística.

Presentes o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton;o Vigário da Custódia, Fr. DobromirJasztal, e o Guardião do convento S. Salvador, Fr. Marcelo Cichinelli, que concelebraram com os Discretos da Terra Santa e com Frades franciscanos que, emnúmero reduzido, chegaram dos conventos vizinhos.Foi celebração íntima, sem a tradicional presença dos pais e amigos. Porém, não faltou acolhimento caloroso por parte da Família da Custódia, bem representada nos seus diversos serviços.

Mons. Pizzaballa, ao comentar o Evangelho,sublinhou que, "antes de ser verdadeiros sacerdotes, é necessário ser verdadeiros diáconos, a saber, servidores, pessoas que doam a si mesmos, gratuitamente, sem pedir nada em troca". "Ser diácono" – continuou – “não significa simplesmente estar num degrau abaixo do sacerdote, ao qual deve prestar serviço e do qual se aprende a acolher as ordens, na Liturgia e na vida. A diaconia é serviço gratuito, e é parte constitutiva da identidade sacerdotal. Sem essa,o sacerdotenãoé completo!”Depois da homilia, a celebração prosseguiu como de costume nas Ordenações diaconais, no empenho de filial respeito e obediência nas mãos do Bispo, a prostração dos futuros Diáconos durante a Ladainha e a imposição das mãos e a oração da ordenação. Logo depois desses momentos, houve a vestição com os paramentos e a entrega dos Evangelhos,que marcam a conclusão do Rito de Ordenação.

Concluindo a Celebração Eucarística, o Custódio Fr.Pattontomou a palavra para agradecer ao Administrador Apostólico, "o augúrio é o de estar realmente a serviço da família de Deus, que é a Igreja, e de ter sempre no coração aquela Espiritualidade que Mons. ToninoBello chamava de Espiritualidade do Avental: não pendurar o avental, mas tê-lo sempre convosco!”

"Entrei no convento com 15 anos, faz 10 anos!” comentou Fr. Andrja, um dos novos diáconos! "Para mim este dia é muito significativo, não só porque é uma etapa mais importante em nosso caminho, mas porque muito a esperava. Com toda a alegria que sinto, estou pronto a dizer que hoje éo dia em que assumo novo empenho de servir, na Igreja, o povo de Deusem suas necessidades, nas alegrias e nas dores".

 

Giovanni Malaspina