S. Leopoldo: festa nacional da Bélgica

Belgium Mass
Belgium Mass

Na Custódia da Terra Santa, a festa de S. Leopoldochegou com quatro dias de antecedência. O dia 15 de novembro, uma das festas mais importantes para a Bélgica, em Jerusalém, é tradicionalmente celebrada no domingo precedente ou sucessivo com Missa solene.

A celebração eucarísticaem honra do Rei Filipe e de sua esposa Matilda homenageou as diversidades linguísticas da nação com as leituras nos três idiomas mais falados dentro de seus confins: francês, flamengo e alemão. Fr. Stéphane Milovitch, responsável pelo Departamento dos Bens Culturais da Custódia, que presidiu a celebração, lembrou aos presentes a dupla importância da data: além de celebrar S. Leopoldo, o dia 11 de novembro é o dia do centésimo aniversário do armistício, que pôs fim à Primeira Guerra Mundial.

P. Christian Eeckhout, dominicano da École Biblique et Archéologique Française de Jerusalém, fez a homilia e mostrou como as leituras do dia eram bem ligadas à celebração: centradas na generosidade, foram vigorosa nota à família real e ao seu altruismo, demonstrado na atenção para com os cristãos de Jerusalém."A festa de 15 de novembro é grande tradição para a Custódia e para a Terra Santa”, declarou o P. Eeckhout."Essa tradição vem do período em que a Bélgica decidiu sustentar os cristãos da Terra Santa e a população dos territórios que Jesus conheceu bem, na qual viveu e deu sua vida". Padre Christian disse que o dia 15 de novembro foi indicado como dia para rezar pela dinastia real e sua família, a fim de que os valores cristãos a guie.

"São mais de cem anos que a relação entre nosso Estado e a Custódia é contínua” comentou a Consulesa Geral do Reino da Bélgica, Danielle Haven. "Estivemos sempre presentes nos momentos mais importantes das celebrações da Custódia: Natal e Páscoa, por exemplo. Momentos esses, partilhados com os outros três Estados, que há cem anos sempre caminham juntos nessa realidade conosco: França. Itália e Espanha". A festa de S. Leopoldo, explicou a Consulesa, não consta no calendário romano, mas está presente no calendário alemão e é uma das duas festas mais importantes para o Reino, junto com 21 de julho. "Este dia é muito importante – prosseguiu a Consulesa Haven– também passaram cem anos da Primeira Guerra Mundial, que teve consequências de extensão mundial. Houve muitas batalhas em Flandres: para essa região, manter viva a lembrança do que aconteceu naquele período para nós significa muito".

Giovanni Malaspina