S. João Batista, ocasião de encontro entre Hebreus e Cristãos

A poucos dias da festa do nascimento de S. João Batista, no dia 21 de junho, o convento de Ein Karem foi o local onde, em colaboração com a comunidade hebraica local, foi realizada uma jornada de aprofundamento sobre a figura do Santo.

Organizado pelos Frades do Convento S. João Batista in Montana, em colaboração com o Conselho da Cidade de Ein Karem, representado por Alon Orion, o evento cresce, ano após ano, sempre com maior sucesso. O Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, introduziu a jornada de conferências, dando suas Boas-Vindas à comunidade hebraica. O Custódio, em sua fala, recordou o aniversário dos Oitocentos anos do encontro de S. Francisco com o Sultão, sublinhando a importância desse evento sob o ponto de vista espiritual, histórico e diálogo interreligioso. "Possa essa iniciativa" – comentou Fr. Patton, encerrando sua fala - "ser um encontro anual e pequeno sinal daquilo que podemos compartilhar e construir em conjunto, Hebreus e Cristãos, caminhando na via da paz, em nome de Jão Batista”.

Muito rico o programa matinal, que viu numerosos peritos tomar a palavra, depois do Dr. Adolfo Roitman, responsável pelo "Santuário do Livro", ala do Museu de Israel, que falou sobre João Batista entre Teologia e Geografia. Em seguida, foi a vez do Dr. Shimon Gibson, Professor do Departamento “Practice in the History”, da Universidade de North Carolina, o qual abordou o tema “Cavernas de S. João”, próximas ao Kibbutz na área de Tzova. Em seguida, foi a vez do franciscano Fr. Apolinary Szwed, que narrou a experiência da vida franciscana e o serviço feito na Terra Santa. Para, depois, concluir com Alon Orion, representante do Conselho de Ein Karem, que falou dos videntes, anunciadores e profetas. No final das conferências foi condiviso uma refeição e concerto do Instituto Magnificat, a escola de música da Custódia, dirigida por Fr. Alberto Pari.

Sublinhou a importância do evento Fr. Severino Lubecki, Diretor da Casa Nova de Ein Karem e organizador do evento: "Já chegamos ao terceiro encontro e recordo muito bem os inícios: seis anos faz, quando aqui cheguei, falamos com o chefe do Conselho comunal para pedir momentos de encontro a fim de melhorar o conhecimento mútuo e a colaboração entre nossas comunidades e a fim de pensar em alguns eventos pelos quais a comunidade local poderia ser envolvida, durante a festa principal do vilarejo, a Festa de S. João. Há três anos está sendo acontecendo esse evento, em constante crescimento do número de participantes, o que nos torna muito felizes”. Fr. Lubecki também agradeceu ao Custódio e o esforço da Custódia, que se concretiza tanto pela presença de frades conferencistas, seja pelos que tomam parte na jornada festiva, seja no encorajamento de continuar esse trabalho organizativo. Há pouco, de fato, também se acrescentou uma celebração no período natalino.

“Creio que a paz venha das relações; os políticos sabem como separar as diferentes pessoas, nações, culturas e religiões" – comentou Alon Orion. "Creio que somos mais semelhantes do que diferentes e quando encontramos um lugar para podermos nos encontrar, desenvolve-se facilmente uma relação de amizade, que pode levar ao nível comunitário, nacional e, depois, internacional. A Terra Santa está cheia de muitas culturas e tradições e isso é encantador para mim: é misturar-se e deixar que as diferenças nos enriqueçam!"

Giovanni Malaspina