Primeira formatura do Instituto Magnificat e extensão do Biênio Acadêmico

Jamil Friej, estudante do Instituto Magnificat, completou seus estudos em Canto Renascentista e Barroco no Conservatório “Arrigo Pedrollo" de Vicenza, com a professora Giuliana Mettini, vice-diretora do instituto. 

Natural da Cidade Velha de Jerusalém, Jamil Friej, 27 anos, é o primeiro aluno a completar os seus estudos no Instituto Magnificat. Depois de obter o diploma em piano e solfejo, Jamil foi contratado pelo secretariado do Magnificat como Coordenador de Projetos e Marketing e é responsável pelas relações com o PPAN (Palestinian Performing Art Network).

Depois de completar os exames de harmonia e composição, ele começou a ensinar às crianças da escola os primeiros cursos de solfejo, tornando-se parte do corpo docente do Instituto Magnificat. No último dia 19 de fevereiro, obteve o bacharelado após um exame final que consistiu em um concerto de 50 minutos com seu repertório, acompanhado por Lucia D'Anna (violoncelo) e Netta Ladar (cravo).

O Instituto Magnificat de Jerusalém é uma escola de música fundada, em 1995, por Fr. Armando Pierucci no coração da Cidade Velha de Jerusalém. Única no seu gênero, promove o estudo da música e oferece preparação profissional mas, sobretudo, é um lugar de diálogo e educação para a convivência pacífica. Crianças e jovens cristãos, judeus e muçulmanos estudam juntos, unidos pela mesma paixão: a música. A escola, atualmente, acolhe mais de 200 jovens estudantes e cerca de 18 professores, com um sucesso crescente. O Magnificat ensina: piano, violino, viola, violoncelo, órgão, canto, guitarra, composição, flauta, percussão, música de coral, solfejo e história da música.

A colaboração com o Conservatório Arrigo Pedrollo de Vicenza nasceu em 2003 com um acordo entre os dois institutos quanto ao apoio da organização didática. Desde então, o Magnificat utiliza o Conservatório de Vicenza como referência educacional, mas não apenas isso: esta parceria deu o sinal verde para a participação de estudantes nas aulas dos especialistas italianos – as chamadas “master classes” – como também em laboratórios e concertos. Além disso, permitiu que o Magnificat se tornasse um instituto válido para a obtenção do diploma de piano e órgão.

Em 2008, houve um acréscimo ao acordo anterior que tornou possível o acesso ao diploma para todos os instrumentos ativos no conservatório de Vicenza. Nos últimos anos, percebeu-se, então, um novo resultado precioso como a conquista do título de bacharel, do qual Jamil se tornou o precursor. Desde 19 de fevereiro de 2019, além da graduação, é oficialmente reconhecida ao Magnificat a oportunidade de continuar a ajudar os alunos, garantindo a continuação do biênio acadêmico, o equivalente a uma especialização.

Grandes propósitos do Magnificat, que é confirmado como um valioso instituto. "O que estamos começando a trabalhar agora é um desafio ainda maior: gostaríamos de um intercâmbio crescente entre os estudantes italianos e os de Jerusalém, a fim de permitir uma experiência musical diferente e estimular a carreira na música", declarou o diretor da instituição, Fr. Alberto Pari.

Giovanni Malaspina