Páscoa Ortodoxa: saudações da Custódia às Igrejas Orientais 

Após os encontros do mês passado, no convento da Custódia da Terra Santa, por ocasião da Páscoa segundo o calendário litúrgico da Igreja latina, a saber 04 e 05 de maio, os Franciscanos novamente encontraram os chefes das Igrejas Ortodoxas de Jerusalém, fazendo-lhes visita nas respectivas sedes episcopais. Os Frades da Custódia queriam, assim, restituir as saudações recebidas e estendê-las também aos seus irmãos das Igrejas Orientais, que haviam celebrado a alegria pascal no domingo, dia 02 de maio, segundo o calendário juliano.

O Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, acompanhado pelo Seu Vigário, Fr. Dobromir Jasztal e uma delegação de Frades franciscanos, dirigiu-se ao Patriarcado grego-ortodoxo de Jerusalém na manhã do dia 04 de maio. Fr. Patton, em seu discurso de saudações, quis recordar a importância da cerimônia do Fogo Santo, rito fundamental da Semana Santa ortodoxa, com o qual se anuncia simbolicamente a Páscoa, graças à chama do fogo de Jesus ressuscitado. “Que o fogo da reconciliação e da ressurreição possa difundir-se, especialmente nestes tempos difíceis – disse Fr. Patton -. Quando entre nós há colaboração, mostramos a todos que somos Um Só Corpo e que podemos ser testemunhas de reconciliação e de paz”! 

Nesse sentido, segundo o Custódio, um exemplo de unidade é a comunidade cristã no Santo Sepulcro, composta de representantes da comunidade católica, grego-ortodoxa e armênia. Também o Patriarca Teófilo III falou da comunidade do Santo Sepulcro e de quanto seja fundamental o Status Quo a fim de manter em autonomia a vida na Basílica. Exatamente o Santo Sepulcro testemunha o carácter especial de Jerusalém e sua promessa de ser casa para todos os povos. “Te somos gratos, caro Fr. Francesco, pela tua liderança em manter boas relações e harmonia entre nós!” disse por fim o Patriarca grego-ortodoxo ao Custódio da Terra Santa.

Na seguinte visita ao Patriarcado Etíope Ortodoxo, na Cidade Velha de Jerusalém, Fr. Francesco Patton falou da Festa de Páscoa como fonte da fé e da esperança. Depois das palavras de gratidão pela visita, o Arcebispo do Patriarcado Etíope Ortodoxo, Aba Embakob, quis sublinhar a importância da ressurreição de Jesus, nosso libertador, nossa rocha: “Nossa paz vem do Cristo ressuscitado; é Deus que nos ajuda a reunirmo-nos hoje aqui. Rezemos juntos pela paz!”

No dia 05 de maio, a acolher a delegação da Custódia da Terra Santa, no Patriarcado Siríaco Ortodoxo foi o Arcebispo Gabriel Daho. O Arcebispo expressou sua alegria em receber os Frades Franciscanos, sublinhando também quão boas sejam as relações entre as duas comunidades. “Vós sois para nós um exemplo e essa é vossa casa – afirmou -. Espero que possamos sempre continuar a colaborar, porque daremos glória a Deus somente se formos unidos!” 

“O anúncio do Cristo Ressuscitado atravessou a história e continua, ainda hoje, a aquecer nossos corações”, disse depois Fr. Francesco Patton, durante a seguinte visita ao Patriarcado Copto Ortodoxo de Jerusalém. Ali, o Arcebispo Anba Antonios quis partilhar suas reflexões sobre a Páscoa. “Nessa festa, vemos, ainda hoje, como a vida venceu a morte e a vida que jamais morre é Jesus! – concluiu o Arcebispo copto -. Como no mar os peixes grandes comem aqueles pequenos, assim a vida humana de Cristo engoliu a morte. Quem crê em Cristo ressuscitado, esse não morre jamais!” 

Beatrice Guarrera