Os Comissários da Terra Santa, há 600 anos, Embaixadores da Terra Santa!

O dia 14 de fevereiro de 1421,o Papa Martinho V publicou a Bula "His quae pro ecclesiasticarum", que se tornou o Ato-Decreto do nascimento dos Comissariados da Terra Santa. A 600 anos desse acontecimento,no dia 14 fevereiro de 2021, a Custódia da Terra Santa eseus 67 Comissariados da Terra Santa festejarão esse fato com celebrações eucarísticas pelos benfeitores da Terra Santa no dia 15 fevrereiro de 2021.

 

De Procuradores leigos a Comissários franciscanos.

O termo "Comissário" parece ser de origem jurídica daSereníssima República Veneziana, com a qual a Custódia mantinha relações, graças também às altas rotas mercantis que dessa República chegavam ao antigo porto de Jafa. O Comissário era o “curador geral” dos interesses de uma instituição ou de uma pessoa.

"Os Comissariados foram instituídos há 600 anos não por acaso!" disse Fr. Marcelo Ariel Cichinelli, Delegado da Custódia para os Comissários da Terra Santa. "Ahistória coloca o nascimento deles durante umperíodo difícil para a vida da Custódia, quando era necessário forte apoio à missão na Terra Santa".

Sabendo bemque não podiam estar em todos os cantos do mundo, ao mesmo tempo, e encontrando-se a viver nas perturbaçõestrazidas pela reforma protestante,na qual dois temas centrais eram a esmola e a pobreza, os franciscanos confiaram, inicialmente, aos leigos a responsabilidade de "procurar" sustento econômico para a Terra Santa.Nasceu assim a figura do Procurador, anterior a doComissário. O primeiro leigo, encarregado,citado nos atosde 1392,éo mercante RuggeroContarini, ajudado pelo seu irmão, primeiramente, e pelo seu sobrinho mais tarde. Parente de Fr. Gerard Chauvetque, mais tarde, se tornou Custódio da Terra Santa (1387/1388-1398), Contarini foi nomeado "procurador para o território da República de Venezia" e manteve estreita ligação comChauvet, assim também com seu sucessor Fr. Jean de Rochefort.

Chegara o momento em que a Ordem Franciscana aprovasse oficialmente o papel desses leigos. Por isso, o Papa Martino V, na bula chamada"Salutare Studium", precisou em referência aos Procuradores da Terra Santa que as Constituições, as Ordens apostólicas, os Estatutos, os Costumes da Ordem, também qualquer Juramento ou Confirmação apostólica, não fosse impedimento ao desenrolar regular dessa obrae assim foi. Apoiados pelo conteúdo das duas Bulas papais, no curso dos séculos, os leigos foram substituídos, gradualmente, pelos Frades franciscanos, assim que, hoje, todos os Comissários da Terra Santa são religiosos nomeados pelo seu Superior territorial,após ter sido consultado o Custódio da Terra Santa.

 

A difusão dos Comissariados no mundo

Émuito difícil identificar uma cronologia exata da instituição dos Comissariados, sobretudo os da Europa, que são reconhecidos como os mais antigos. Sabemos, por exemplo, que os Comissariados de Nápoles, Paris e Viena foram fundados na primeira metade do XVII século.Mas, o mais surpreendente – o que testemunha a internacionalidade e vitalidade da Ordem Franciscana, foi a criação de um comissariado na Argentina, em Buenos Aires, poucos anos depois. Grande foi a obra dos Reinos da Espanha e dePortugal. Deve-se à coroa espanhola a criação dos comissariados na Cidade do México, Lima, Cartagena, Quito e a Buenos Aires, no fim do XVI século, pouco depois daqueles de Madrid e Santiago de Compostela. Também a Coroa portuguesa, depois da fundação do Comissariado de Lisboa, manteve a fundação dos comissariados gerais de Ouro Preto, Salvador da Bahia e Rio de Janeiro.Os comissários, então, assumiram a função de "embaixadores" dos Lugares Santos, organizando também peregrinações, mas não só: também serviram os interesses de toda a Ordem. Por exemplo, foi exatamente graças à criação de um Comissariado em Paris que foi possível o retorno dos Franciscanos depois da expulsão de todos os religiosos, em 1880. Édesse mesmo período a fundação de umaComissariado nos Estados Unidos, em Washington D.C. (1882) e no Canadá, emTroisRivières (1888), criado pelo beato Fr. FredericJanssone.

Desde o começo, a missão dos Comissariados foi indispensável: representaram uma ponte entre a missão da Terra Santa e as igrejas locais. Canais naturais, instituídos e promovidos não só pela Ordem Franciscana, mas pela própria Igreja, que reafirma a importância do sustento da Terra Santa com a "Collecta pro Locis Sanctis", instituída pelo Papa Leão XIII, dia 26 de dezembro de 1887 e repetida anualmente na Sexta-Feira Santa.

 

Celebraros 600 anosdosComissariados

"Apesar do período difícil em que nos encontramos, a 600 anos de distância, a Custódia quer celebraressa instituição e render graças a Deus e à Igreja pela criação e o apoio a essa realidade” sublinha Fr. Marcelo. Esse olhar temporal possibilitou ao Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, de promover um momento de oração pelosComissários, mas, ainda mais,pelos benfeitores, pois cada um,em suas possibilidades, tem sido expressão da Providência divina."Esta celebração também nos possibilita um relance da figura dos Comissários" continua Fr. Cichinelli."Queremos comunicar ao mundo quenão estamos atolados no passado, mas esta figura evoluiu, seguindo os tempos e encontrando-se regularmente nos Congressos dos Comissários (o último foi em2018),para continuar sendo sempre mais eficientes no trabalho de animação".

Giovanni Malaspina