O Presidente Rivlin encontra os chefes das Igrejas de Jerusalém

Na segunda-feira, dia 03 de junho de 2019, o Presidente do Estado de Israel, Reuven (Ruvi) Rivlin encontrou-se com os chefes das Igrejas de Jerusalém, no convento S. Salvador, sede da Custódia da Terra Santa.

A acolher o Presidente Rivlin foi o canto do Quarteto do Magnificat, formado pelo Diretor Fr. Alberto Pari, a Vice-Diretora Giuliana Mettini e as estudantes Eleonora Lué e Tareq Wahba acompangnados no piano por Maria Spitkovski. Em seguida, Fr. David Grenier, Secretário da Custódia, fez a introdução, acolhendo os presentes e recordando o fato dos 800 anos da presença franciscana na Terra Santa.

Em seguida, o primeiro a tomar a palavra foi o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, que, após saudar oficialmente os presentes, concentrou-se sobre a importância desse encontro, recordando a imagem das festas apenas transcorridas, descrevendo a Jerusalém de hoje. Enquanto para os Cristãos aconteciam as celebrações da Páscoa, para os Hebreus era Pesach, para os Drusos, En Nabi Shu’eib e para os muçulmanos iniciava o Ramadan. O Custódio, depois, expressou um sentimento de gratidão pela tutela constante da liberdade religiosa, sublinhando, em nome de todos, a preocupação pela presença crescente de líderes religiosos e forças políticas que não favorecem a paz e o diálogo, mas aumentam divisões. Fr. Patton concluiu sua fala, manifestando preocupação também a respeito da condição dos cristãos presentes no território da vizinha Gaza. 

Em seu discurso, o Presidente Rivlin acentuou, antes de tudo, a importância da próxima festa de Shavuot para os Hebreus, que coincide com a Festa de Pentecostes para os Cristãos. "O Estado de Israel, como Guardião da cidade de Jerusalém, está diretamente empenhado na tutela da liberdade religiosa e a segurança do corecto desenvolvimento das atividades das comunidades dos fiéis, em Jerusalém e em todo o Israel!", afirmou o Presidente: "Cristãos, Muçulmanos e Hebreus terão sempre a própria liberdade de culto que o Estado não comprometerá!" O Presidente Rivlin concluiu, depois, congratulando-se pelo recente acordo sobre a restauração do Santo Sepulcro, assegurando ajuda em qualquer maneira possível.

Giovanni Malaspina