Jerusalém: volta o Festival “Soando Jerusalém”

De 20 a 27 de agosto de 2019, pelo terceiro ano consecutivo, volta a animar os Lugares mais sugestivos da Cidade Velha de Jerusalém, o Festival musical “SoundingJerusalem”, a partirdeste ano, em parceria com o Instituto de música Magnificat da Custódia da Terra Santa, com sede em Jerusalém.

Esse festival foi realizado pela primeira vez em 2006. Originariamente seu idealizador e atual Diretor, o violoncelista austríaco Erich OskarHuetter, realizou-o em Jerusalém, Israel e Palestina confiando-lhe tarefa humanista e subtexto político. "O festival – comentou Huetter – foi pensado como provocação artística musical à divisão: ignorávamos os muros divisórios, reais e mentais, para demonstrar que podemos criar os mundos ilusórios e convencer-nos que damos mais sentido à vida em vez de enfrentar a realidade”. O festival continuou assim por alguns anos para, depois, ser interrompido pelo próprio Diretor.

Retomado apenashá três anos sob nova luz, o festival se propõe, hoje, a inovar a música de Câmera e promover o diálogo como diferente, contribuindo com a música, na interação e respeito à colaboração e à comunicação, prescindindo do aspecto étnico, social e religioso pessoal. "Quando voltamos, encontramos o Magnificat" comentouHuetter. "O que encontramos no Instituto é um nível artístico e pedagógico elevado, diria: profissional. Essa parceria, que já dura três anos, mas concretizou-se neste ano de modo mais completo, não é feita apenas de burocracia, mas observa também as relações humanas. Os alunos e os professores com quem partilhamos algo a partir da experiência musical, e quanto mais nos conhecemos,mais nos suportamos".

O Instituto Magnificat de Jerusalém, fundado em 1995 e ligado ao Conservatório de Música "A. Pedrollo" de Vicenza (Itália) é centro de excelência para a música,a qual oferece acesso a profissões musicais no campo didático, artístico, concertista e litúrgico, adotando programas de ensino de Conservatório em todos os níveis de ensino de base. No Magnificat ensinam-se: Piano, Violino, Viola, Violoncelo, Órgão, Canto, Guitarra, Composição, Flauta, Percussões, Música Coral, Solfejo e História da Música. O Instituto e seus Professores trabalham a fim de possibilitar experiência musical diferente e incentivar uma carreira em música para os jovens locais, favorecendo um diálogo entre os diversos estratos sociais, sem criar diferenças de qualquer carácter, conta Fr. Alberto Pari, Diretor do Magnificat, inicialmente eram apenas logísticos, visto que os espaços da escola, durante o mês de agosto, são inutilizados por causa do fechamento durante o verão. "Nos propuseram Masterclass para alguns alunos mais adiantados, par a concretizar eventual concerto que, desde então, se realiza cada ano. De nossa parte, sempre houve grande enriquecimento: os alunos se confrontam com novos estímulos, novos desafios, novos Professores, num contexto de grande profissionalidade".

"É grande experiência profissional para os jovens, seja em nível educativo, seja em nível musical" - comenta Fr. Pari - "porque lhes possibilita encontrar jovens músicos com background diferente ao deles, mas com a mesma paixão. Todos saem enriquecidos e motivados por essa experiência".

Giovanni Malaspina
 

 

Photo credit: Christian Jungwirth