“Itinera ad loca sancta”: o catálogo das peregrinações

Library
Library

No dia 14 de janeiro, em Jerusalém, aconteceu a apresentação do livro “Itinera ad loca sancta sancta (Viagens aos Lugares Santos). Os livros de viagem das Bibliotecas Franciscanas de Jerusalém. Catálogo das edições dos séculos XV-XVIII", de Alessandro Tedesco, publicado em 2017 pelas Edições da Terra Santa. 

O evento, realizado no Christian Information Center, nasce no projeto internacional “Libri ponti di pace (Livros, pontes de paz), criado em 2011 pelo Centro Europeu de Pesquisa, Editoria e Biblioteca (CRELEB) da Universidade Católica de Milão, em colaboração com a Custódia da Terra Santa e da ATS (Associação pro Terra Sancta) que, nesses anos, possibilitou a catalogação e valorização do patrimônio livresco conservado nas bibliotecas franciscanas, em Jerusalém.

O catálogo descreve a secção antiga (XV-XVIII século) do fundo especial dos Itinera ad loca Sancta (ITS ou Itinerários aos Lugares Santos), conservado na Biblioteca geral da Custódia da Terra Santa e na Biblioteca do Studium Biblicum. Como sublinha Maria Gioia Tavoni, bibliógrafa italiana e histórica do livro, através da descrição das obras o leitor é acompanhado "num percurso em que o dado histórico e documental, pensamento e imaginação se intercruzam inseparavelmente, estabelecendp uma sólida correlação entre colheita livresca aqui publicada e a presença dos franciscanos, que festejam com feliz coincidência, em 2017, o ano da impressão e publicação do livro de Tedesco, o oitavo centenário da chegada à Terra Santa" (“Biblioteche oggi”, julho-agosto 2018, p. 56-58).

O Professor Edoardo Barbieri, docente da Universidade Católica de Milão e promotor do projeto “Livros, pontes de paz”, abriu a apresentação, introduzindo dois relatores: Sundar Henny, do Centro de Estudos Mediterrâneos de Haifa, e o autor Alessandro Tedesco. “A situação de fundo dos Itinera (como é ususal numa biblioteca histórica) era estratificada e complexa" comentou Tedesco, falando de seu trabalho de catalogação "seja em relação ao número efetivo de livros contidos nele, seja em relação dos instrumentos catalográficos que o descreviam". Hoje, depois do trabalho de redifinição e catalogação, pode-se dizer que o fundo tem forma e consistência definidas e pode ser utilizado pelos estudiosos, graças a dois instrumentos atualizados.

A segunda parte foi centralizada na peregrinação. “As pessoas, que fizeram a peregrinação, em realidade, fizeram diferentíssimas experiências entre elas" concluiu Sundar Henny "isso é demonstrado também pela natureza extremamente heterogênea de seus escritos". Para um estudo aprofundado dessa diversidade, o trabalho de Alessandro Tedesco, que chega bem 150 anos após a publicação da Bibliographia Geographica Palestinæ de Titus Tobler, parece essencial.

Martina Mineri