Conhecer o outro: experiência do Iftar com muçulmanos

A igreja dedicada a Lázaro, situada na Betânia palestina, na terça-feira, dia 28 de maio, foi ambiente na celebração da ceia (Iftar), logo após o pôr do sol, durante o mês islâmico do Ramadan, ceia organizada pelas associações ATS e Mosaic Centre. Essa última colabora com a Custódia da Terra Santa.

Betânia (al-Azariya em árabe) é importante lugar sob diferentes aspectos, sobretudo pela presença do túmulo de Lázaro. Encontramos testemunhos desse lugar já no diário do peregrino de Bordeaux (333 d.C.), que menciona a cripta em que foi deposto Lázaro, depois revificado, e pelos escritos da peregrina Egéria, que fala das celebrações litúrgicas dentro do Lazarium. Hoje, Betânia é pequena cidade, com pequenas atividades comerciais, que se apoia nos recursos turísticos, graças aos projetos da ATS e Mosaic Centre, sustentada pela Agência Italiana pela Colaboração.

"Estamos muito contentes de termos a possibilidade de estarmos reunidos nesta festa!” - declarou o Dr. Musa Khatib, Vice Prefeito da cidade, antes de iniciar a ceia. – “É a segunda vez que nos encontramos neste evento e esperamos realizá-lo cada ano, porque é sinal de unidade entre os muçulmanos e cristãos". Ao lado dos Frades da Custódia, muitos aderiram a essa iniciativa, representando várias realidades locais: representantes da Associação Governamental da Palestina e de outras Associações do lugar, Diretores de escolas e Sheiks das mesquitas.

Seguindo a tradição, esperou-se o canto do Muezzin da Mesquita, situada exatamente diante da igreja de Lázaro, para a recitação da oração do pôr do sol, a salat al-Maghrib, que precede ao início da refeição. Logo depois da refeição, foi o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, a tomar a palavra a fim de recordar as origens do lugar e a importância bíblica que o lugar representa para os cristãos. "Betânia é a Casa da Amizade - disse Fr. Patton – por ter sido a casa da família de Lázaro, Marta e Maria, lugar em que acolheram Jesus e no qual Ele sempre encontrou amizade, senso de família e hospitalidade: por isso é importante essa iniciativa do Iftar em que nós, juntos, Cristãos e Muçulmanos, compartilhamos a comida. É sinal do empenho das comunidades a fim de que reste um pouco de hospitalidade, amizade e fraternidade”. O Custódio concluiu, mencionando as atividades realizadas pelas associações, sobretudo para com as mulheres e crianças de Betânia, iniciativas que criaram partilhas e possibilitaram às pessoas do lugar conhecer um pouco da História que também lhes pertence.

"Desde que temos iniciado, ATS e Mosaic Centre, a trabalhar em Betânia, compreendemos que é preciso concentrar-se, primeiramente, sobre a comunidade” – afirmou Osama Hamdan, rapresentante da ATS e do Mosaic Centre. "Fazer Iftar dentro da igreja é boa ocasião para criar laços, colocar juntas as pessas e conhecer-se melhor. É o medo do outro que cria problemas; quando existe experiência direta das pessoas, supera-se todos os problemas e se compreende que somos todos iguais, cada um com sua religião, mas todos com um e mesmo Deus". Também Cristina Natoli, responsável pelo Escritório, em Jerusalém, da Agência Italiana para a Cooperação e Desenvolvimento, se disse orgulhosa por financiar essa associação com o objetivo de construir pontes e não muros: "Este tipo de iniciativa serve para recuperar os lugares, mas também para sustentar a comunidade que vive ao redor deles, criando oportunidades de trabalho e criação de rendas, que reforçam os laços entre a realidade cristã e muçulmana".

Giovanni Malaspina