Visita da Presidente da República croata, Grabar-Kitarović

Domingo, 28 de julho de 2019, a Presidente da República Croata, Kolinda Grabar-Kitarović, visitou o Santo Sepulcro e os Frades Menores Franciscanos, segundo o programa de sua viagem a Israel.

Acompanhada por grande Delegação, a Presidente croata iniciou sua visita com o ingresso oficial na Porta de Jafa, uma das portas de ingresso na Cidade Velha de Jerusalém. Dali até o Santo Sepulcro, guiada pelas explicações de Fr. Siniša Srebrenović, Discreto da Terra Santa, croato e encarregado da Sacristia do Santo Sepulcro.

Dentro do Lugar mais santo do cristianismo, após a acolhida destinada aos Chefes de Estado, na presença dos representantes religiosos latinos, gregos ortodoxos e armênios, a Presidente venerou a Pedra da Unção, lugar em que o corpo de Jesus foi colocado, depois de ser descido da cruz, a fim de ser ungido com óleos sacros. O giro continuou rumo à Anástasis, lugar da Ressurreição, para ir adiante até o Catholicon e terminar com uma oração no Calvário.

Antes de sair, a Delegação teve o privilégio de colocar-se no ingresso da zona grega-ortodoxa a fim de observar a colina do Calvário de um ângulo insólito.

Os Franciscanos da Custódia da Terra Santa receberam a Presidente, logo depois, no Convento S. Salvador, em Jerusalém. Após as primeiras saudações, o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, tomou a palavra e evidenciou a felicidade dos Frades Menores pela visita e expressou a alegria pelos laços que une a Croácia com a Custódia, que – sublinhou – continuará a ser presença constante nas orações dos Franciscanos da Terra Santa.

A Presidente Grabar-Kitarović, em sua fala, se fez portadora do sentimento nacional de bravura em relação com os numerosos croatas que, a partir do século catorze, serviram e ainda servem a Custódia da Terra Santa, seja através da acolhida e o cuidado dos peregrinos seja pela proteção dos Lugares Santos, nos quais eles servem. Por tal motivo, agradecendo aos Frades por ter preservado língua, cultura e identidade croata, a Presidente deu aos Franciscanos um título honorífico, em nome da República por ela representada.