Rodes: recuperação do Arquivo e da Biblioteca espiritual

Entre as principais funções de um Arquivo é a de preservar textos, atos, documentos, fotos e
tudo quanto constitui o patrimônio cultural de uma nação, cidade, país, a fim de impedir seu
estrago. Essa é a função do Arquivo de Santa Maria da Vitória em Rodes, que guarda testemunhos e
documentos da presença franciscana católica, mas também muitíssimas informações do período da
presença italiana na ilha, nos inícios dos anos 900.


Em 2006, com essa finalidade, foi reservado um espaço no convento, e um grupo de
voluntários, coordenados pela Dra. Lúcia Conte Jannikis, Arquivista voluntária e responsável pelo
Arquivo, iniciou a sistematização dos livros e documentos, em língua italiana e latina, que
remontam aos anos 1700 a 1800.


"Esse Arquivo se encontrava na lavaderia" contou a Dra. Conte Jannikis. "Inicialmente, com a
ajuda de uma amiga, foi possível pôr ordem o acervo. Depois, pouco a pouco, o grupo de voluntários
se reduziu e permanecemos apenas em duas, eu e a senhora Pina Guadagno Giannino. Sem mais
ajuda, fizemos o que era possível. Continuo a mover-me graças à minha paixão de Arquivista e de
meu conhecimento do idioma Italiano, Francês, Inglês, Latim e Grego”. Atualmente, apesar de que
muitos registros tenham sido perdidos, há muitos pedidos de certificados de Matrimônio, Batismo,
Crisma e Morte, documentos a respeito de familiares, que podem ajudar na prova de que um
familiar tenha estado na ilha. Numerosos são também os pedidos de estudantes e pesquisadores
que desejam aprofundar especiais aspectos históricos ou estruturais, graças às plantas de igrejas,
conservadas no Arquivo.


Exatamente do período italiano (1912 a 1947), em grande parte, procuram-se documentos,
certificados, testamentos ali guardados, mas ainda não organizados. É por causa da presença
católica na ilha que o Arquivo se torna fonte muito importante. Naquele período, as novas gerações
crescem quanto à religião, aos lugares santos, aos professores pertencentes à Ordem dos Frades nas
Escolas cristãs. Exatamente por isso nasceu a secção do Arquivo, chamada “Res Itálica", que
conserva discreta quantidade de livros, fotos, opúsculos, boletins, jornais e testemunhos daquele
período, encontrados também graças aos ex-alunos de Rodes, da Associação Lassaliana e aos
turistas italianos que têm parentes e amigos, que viveram na ilha, durante o século doze.


Depois da morte de meu esposo, dar uma mão oferece novo sentido à minha vida – disse
Lúcia – esse trabalho voluntário me possibilita conjugar a paixão, que já tinha, com a possibilidade
de ter um objetivo”. A Dra. Conte Jannikis não está sozinha, também a Senhora Guadagno Giannino
tem essa mesma ideia: “Também a mim traz nova vida. Minha história e a de minha família afudam
suas raízes nesta ilha! A possibilidade de frequentar essa família de voluntários é verdadeiramente
única: uma rede de calor humano, de emoções, que temos cada dia e, com isso, continuamos
aprendendo algo também sobre nós.


Outro lugar que deve ser mencionado, também esse construído com o empenho dos
voluntários, é a Biblioteca situada na Paróquia S. Francisco. Ela possui livros espirituais doados à
Paróquia através de um apelo do Pároco, Fr. John-Luke Gregory. O pedido, feito em diversas línguas,
foi divulgado no cabeçalho "Vatican News". "Não tínhamos imaginado circulação tão grande da
notícia”- contou-nos o Pároco - “pouco depois da publicação desse apelo, começamos a recber
livros em língua grega, inglesa, italiana, francesa, alemã e espanhola, vindos de todos os cantos do
mundo e, assim, iniciamos a colocá-los nas estantes a fim de criar um espaço espiritual”.

Giovanni Malaspina