Profissões solenes: “conquistados pelo Senhor”

Sábado, 05 de outubro, para a Fraternidade dos Frades Menores (Franciscanos) da Terra Santa foi dia de festa: Fr. Ernesto, Fr. George, Fr. Giuseppe e Fr. Paulo, após as etapas da formação inicial (Postulantado,Noviciado, Profissão temporária), concluíram seu percurso de discernimento, fazendo a Profissão solene, dando seu “sim” definitivo e para sempre ao Senhor, dentro da Fraternidade dos Frades Menores.

O Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, que presidiu a CelebraçãoEucarística, no comentário ao Evangelho, sublinhou a centralidade do ser conquistado por Deus, expresso nas leituras escolhidas, em especial o trecho do jovem rico. “Poderia parecer linguagem militar”, comentou o Custódio, “contudo,éa linguagem do Amor que nos revela como, à base de cada resposta, existe a experiência de ter sido conquistados ou – como diz Jeremias – seduzidos por Cristo”.

Fr. Pattonfalou, então, da necessidade de que os votos professados têm um confronto real navida quotidiana de cada um: obediência, sem nada de próprio e castidade; ter na mente esses três votos ajuda os religiosos a pertencer a Deus, com alma e corpo, com a totalidade da própria pessoa. “Existe um amor que nos enche de esperança, alegria e visão da eternidade, e é aquele amor por Cristo; existe outro amor que se faz pesado e nos enche de tristeza: é o amor pelo mundo”, comentou o Custódio.

Sobre o rosto dos familiares e amigos presentes era evidente a emoção, nos momentos que caracterizaram a celebração.Cada professo, em seu próprio idioma, leu a fórmula da Profissão, nas mãos do Custódio da Terra Santa e, um pouco antes, estendidos por terra, escutaram a assembleia rezar a ladainha, a fim de pedir a intercessão dos Santos franciscanos e da Igreja inteira. A alegria dos Frades, que escutaram os novos professos solenes na Fraternidade, se expressou com um caloroso abraço, no fim do momento central da celebração, sublinhado também com um aplauso geral.

"Penso que a Profissão solene vai concretizar e reforçar minha adesão, que já senti no dia da vestição!" disse Fr. Paulo no final da celebração. "Aquele “sim”, que já havia dado, hoje se concretiza de maneira mais forte e por toda a vida, ao me confiar à Fraternidade da Terra Santa".

“A Profissão solene” - comentou Fr. Giuseppe - "me oferece a possibilidade de recomeçar, desde o início, minha constante busca de Deus. Nesses oito anos de provas entre os franciscanos, experimentei a diferença entre a estabilidade monástica e a vida peregrina franciscana.Experimentei que, em cada lugar, Deus te revela com nome novo, com aspecto novo, e aceita conhecer-te sempre mais, faz unidade em tua vida”.

Giovanni Malaspina