O Presidente do Estado de Israel,Rivlin, encontrou-se com os chefes das Igrejas

Photo by Mark Neyman/GPO on 30 December, 2019
Photo by Mark Neyman/GPO on 30 December, 2019

No dia 30 de dezembro, o Presidente do Estado de Israel, ReuvenRivlin, recebeu os chefes das Igrejas da Terra Santa em sua residência, a fim de saudá-los e parabenizá-los pelas celebrações apenas passadas e pelas que estão às portas.

Após tê-los acolhido, os convidados e o Presidente dirigiram-se à sala de conferênciaspara os discursos.Quem,por primeiro, usou da palavra foi o patrão da casa.Em seu discurso, o PresidenteRivlinfalou da beleza de Jerusalém nesse período, durante o qual os Cristãos e Judeus celebram as respectivas festas ligadas àluz que vem de Deus: Natale Hanukkah. Rivlinsublinhou a centralidade dos santuários no curso do último biênio, que foram visitados por mais de 900.000 turistas, em 2018, estimando que haverá crescimento notável também para o ano 2019.Recordou, depois, o problema do antissemitismo, há 75 anos; da libertação do ghetto de Auschwitz e as celebrações que acontecerão noYad Va Shem."Pedi a paz para Jerusalém!" disse, citando o salmo 122, 6-7, depois de ter condenado toda forma de violência por causa da religião,"haja paz para os te amam, haja paz sobre teus muros, segurança em tuas fortalezas", desejando que Jerusalém possa ser modelo de paz e convivência entre as religiões. O Presidente concluiu seu discurso convidando cada um a tomar iniciativas e ser parte ativa nessa convivência.

Intervalados por cantos natalícios em língua árabe, os discursos continuaram. "Minha casa chamar-se-á casa de oração para todos os povos (Is 56,7)", com essa frase,o RabinoAryehMakhloufDeri, Ministro do Interior do Estado de Israel, introduziu seu discurso, fazendo votos para que Jerusalém seja sempre mais aberta às diferentes religiões que ali vivem. O RabinoDeri, depois, continuou seu discurso, recordando o triste fato de 29 de dezembro na cidade de Monsey, a 50 km de New York, durante a sétima jornada deHanukkah, sublinhando a importância da luta ao antissemitismo, crescente também em nossos dias. Ao concluir, o Ministro Derielogiou o trabalho feito pelos cidadãos que enfeitaram e transformaram a cidade de Jerusalém a favor do diálogo e da solidariedade entre as religiões: "Jerusalém - disse–é uma das cidades mais belas do mundo!".

O terceiro a tomar a palavra foi Teófilo III, atual Patriarca grego-ortodoxo de Jerusalém, que falou como representante de todos os chefes religiosos cristãos. Teófilo III iniciou expressando gratidão, seja pelo apoio que as autoridades israelenses ofereceram às comunidades cristãs, como pelo trabalho feito nesses últimos anos a favor da tolerância religiosa e da promoção do multiculturalismo.O Patriarca grego-ortodoxo citou como exemplo o trabalho feito em colaboração no lugar do Batismo, que se tornará um oásis de paz e acolhimento para todos.

O encontro foi encerrado por canto de Natal em língua inglesa e em árabe, antes das saudações.