Nápolis: Encontro de Estudos entre Terra Santa e Europa

No mosteiro Santa Clara, em Nápolis, realizaram-se as jornadas de estudo sobre o tema "A Custódia da Terra Santa e a Europa, nos séculos 14 e 15, promovidas pela Sociedade Internacional Franciscana

No esplêndido contexto arquitetônico do Mosteiro Santa Clara, em Nápolis, nos dias 19 a 20 de julho, realizou-se o Encontro de Estudos sobre A Custódia da Terra Santa e a Europa, nos séculos catorze e quinze, promovido pela Sociedade Internacional e pelo Centro interuniversitário dos Estudos Franciscanos (Assis), como conclusão do Seminário residencial de formação em História Religiosa e Estudos Francicanos (Assis, 07 a 18 de julho). Essa jornada foi promovida pela Província Franciscana de Nápolis, Comissariado geral da Terra Santa, Universidade dos Estudos da Campânia, Escola Superior dos Estudos Medievais e Franciscanos da Pontifícia Universidade Antonianum (Roma).

A ocasião foi sugerida pelo oitavo centenário (2019) do encontro entre Fr. Francisco de Assis e o Sultão do Egito, em Damieta. Mas, a atenção foi centrada na presença dos Frades Menores na Terra Santa, após a queda de S. João d’Acre (1291), que pôs fim ao período cruzado e à presença dos latinos na Palestina. Depois de algumas tentivas  falhadas, a renovada presença dos Frades Menores nos Lugares Santos foi fortemente desejada e apoiada por Roberto d’Angiú, Rei de Nápolis, e de sua esposa Sancha, que sustentaram a iniciativa do Frade Menor da Aquitânia, Roger Guerín, junto aos soberanos mamelucos (1333), seguida, em 1342, pela confirmação concedida pelo Papa Clemente VI. A iniciativa diplomática e o empenho econômico asseguraram os Frades Menores nos principais lugares, a saber, Santo Sepulcro, Cenáculo sobre o Monte Sião, Vale de Josafá e Belém.

Os relatores nesse Encontro de Estudos pesquisaram a presença minorítica na Terra Santa, baseando-se na documentação papal, na legislação minorítica e no Arquivo da Custódia. Especial atenção foi dada também no avaliação da atitude dos mamelucos, entre teoria e prática, para com os Frades Menores e os peregrinos, aos quais os religiosos asseguravam assistência logística e espiritual. As conclusões do Encontro foram dirigidas por Franco Cardini.