Mensagem de Natal 2019 , Fr. Francesco Patton- Custódio da Terra Santa 

“ E deu à luz a seu filho primogênito, envolveu-o em panos e deitou-o numa manjedoura” ( Lc 2,7)

Oito séculos atrás São Francisco teve a graça de vir como peregrino à Terra Santa. Foi naquela ocasião que encontrou, desarmado, o Sultão do Egito e lhe anunciou o Evangelho.
Graças àquele encontro, ele pôde provavelmente visitar esse lugar especial, a manjedoura de Belém, onde a Virgem Maria pôs com amor e cuidado seu Filho Jesus depois de tê-Lo dado à luz e envolvido em panos pobres.
Aqui São Francisco provavelmente contemplou o que ainda hoje nós e os peregrinos podemos ver: a manjedoura e, ao lado, o altar onde é celebrada a Eucaristia.
Talvez seja por isso que ele quis comemorar o Natal em Greccio com esses simples elementos: uma manjedoura vazia e um altar onde celebrar a Eucaristia. Inclusive Papa Francisco nos recordou isso na sua recente visita a Greccio e na Carta Apostólica dedicada ao Admirável Sinal do presépio.
Em muitos dos seus “Escritos” o próprio São Francisco nos fala contemporaneamente do nascimento de Jesus de Maria, e de seu tornar-se presente de modo humilde na Eucaristia, como na Amonição I, onde Ele diz:
“Todo dia o Filho de Deus se humilha, como quando da sede real ele desceu para o ventre da Virgem; todo dia ele próprio vem até nós aparentemente humilde; todo dia ele desce do seio do Pai para o altar até as mãos dos sacerdotes”
(S. Francisco, Amonição I,16-18: FF 144).

Esse lugar, a manjedoura de Belém, enfeitada este ano pelo dom que o Papa Francisco nos fez de uma relíquia do santo berço onde Maria pôs o Menino Jesus e o altar onde diariamente celebramos a Eucaristia, por isso e antes de mais nada devem encher nosso coração de estupor e agradecimento. Qual maravilha: o Filho de Deus que se fez Menino continua a se doar a nós de modo humilde através da Eucaristia. Assim, cada altar se torna a manjedoura de Belém, as mãos do sacerdote se tornam a manjedoura de Belém, cada um de nós se torna a manjedoura de Belém onde é posto com amor o Filho de Deus na sua pequenez e humildade.

Que a celebração do Natal nos leve a seguir e imitar a humildade de Deus: a manjedoura e o altar, lugar onde recebemos o dom diário do Filho de Deus que se humilha por nós, nos comprometam também para nos tornarmos pequenos e nos doarmos, todo dia.

A quem se sente sozinho, abandonado e humilhado, a quem sofre por causa da prepotência, da violência e da guerra, a quem sente apagar-se a alegria e a esperança, a cada um de vocês e a suas famílias:

Feliz Natal da manjedoura de Belém, 
Feliz Natal do altar de Belém,
Feliz Natal do lugar onde o Filho de Deus se fez criança para a nossa salvação!