A língua polaca chega ao Terra Sancta Museum 

No dia 07 de março, no Convento da Flagelação, em Jerusalém, nos espaços dedicados ao Terra Sancta Museum, foi inaugurada a versão da instalação multimedial em língua polaca. Esse objetivo foi possível graças ao interesse e à contribuição da representação polonesa local, à Custódia da Terra Santa e à ATS Pro Terra Sancta, que acolheram o pedido de muitos peregrinos poloneses, que cada dia visitam os lugares santos.

O Terra Sancta Museum compõem-se de três partes: a parte multimedial; duas estão nos locais do Convento da Flagelação, inauguradas em 2016: a arqueológica, da qual a primeira parte foi aberta em junho de 2018;  a parte histórica que nascerá no Convento de S. Salvador. A sala multimedial, num rico ambiente de luz, sons, narrações e animações digitais, possibilita, em apenas 15 minutos, percorrer uma viagem no tempo a fim de descobrir a Cidade Santa do tempo de Jesus aos nossos dias. Desde o momento da instalação, realizada em colaboração com a ATS pro Terra Sancta e a Associação Alemã Porticus, estava disponível em 8 línguas: Inglês, Italiano, Espanhol, Português, Francês, Russo, Árabe e Hebraico.

A inauguração da narração em língua polaca teve a presença de delegação representando a República Polonesa junto à Autoridade Palestina, guiada por Aleksandra Bukowska. "Esta proposta foi feita há um ano pela Custódia, nela se empenhou Fr. Dobromir Jasztal, e a direção do Terra Sancta Museum" comentou a diplomata polonesa, “e, graças ao apoio do Ministério para os Assuntos  Exteriores da Polônia e da ATS Pro Terra Sancta, estamos orgulhosos de dizer que o resultado é deveras maravilhoso". As motivações do interesse da Polônia na instalação nele são duplas: antes de tudo é a atenção para com o grande número de poloneses que escolhem a Terra Santa como meta. Em segundo lugar, reafirmar os laços da Nação com a Via Dolorosa: nos anos 1947-1948, graças à generosidade de alguns soldados polacos a serviço em Jerusalém, na Terceira Estação foi restaurada uma Capela do XIX século, que ainda hoje traz sua lembrança.

"O objetivo é o de oferecer a um número sempre maior de peregrinos a possibilidade de visitar esse lugar!” declarou Fr. Dobromir Jasztal, Vigário da Custódia, que deu as boas-vindas à Delegação polonesa e os convidados reunidos “a fim de possam ter algumas informações úteis para percorrer a Via Dolorosa". Esse novo resultado vai a par e passo com a inovação técnica importante, como sublinha o Diretor do Terra Sancta Museum, Fr. Eugênio Alliata, "somos capazes, agora, de acrescentar novos idiomas de modo mais rápido e esperamos de poder fazê-lo no próximo futuro".

Camilla Cantore - Giovanni Malaspina