"Knüpfwerk": os estudantes do Instituto Magnificat, no campo inter-religioso austríaco

                Desde o dia07 ao dia 13 de agosto, na região de Carínzia, na Áustria, cerca de 50 jovens entre 13 e 20 anos,participaram de atividades no campo inter-religioso "Knüpfwerk",promovidas pela Associação austríaca "The UpperRoom", de molde católico. No grupo de jovens encontravam-se também diversos jovens do Magnificat, o Instituto musical da Custódia da Terra Santa.

                "Quando apresentamos aos nossos estudantes essa iniciativa, todos ficaram entusiasmados em participar"conta Fr. Alberto Pari, Diretor do Instituto Magnificat. "Para nós é grande desafio reunir cristãos, hebreus e muçulmanos em alguma coisa que não tem a ver com música e num contexto diferente daquele específico. Aqui, na Terra Santa, é mais fácil conviver, porque étudo quotidiano em relação: é experiência diferente".A delegação do Magnificat estava composta por14 estudantes, representando igualmente as três grandes religiões monoteístas, à qual foram integrados outros jovens locais, que pediram para irà região da Tröpolach,no Sul da Áustria, naCarínzia, que está hospedando a experiência.

                "Não se trata de um workshop, mas de uma semana de encontro inter-religioso,uma experiência que, porém, envolve também a parte musical!”, continua Fr. Pari. "Como escola de música, na verdade, para preparar-nos e fazer grupo, já nos havíamos encontrado diversas vezes a fim de aprender três cantos corais a ser apresentados aos outros jovens: um em idioma árabe, um em Hebraico e outro em Latim".

                A experiência nasce de um encontro com um seminarista, vindo da Índia, pertencente à Diocese de Viena, Anson Samuel, um dos fundadores da Associação promotora do evento, o qual, recentemente, passou um ano em Jerusalém para frequentar aulas de Teologia. Durante o tempo passado na Terra Santa, Anson frequentou o Instituto Magnificat,estudando piano e canto, coisa quelhe possibilitou oferecer oconviteespecial ao Instituto,que desde sua fundação sempre teve marca inter-religiosa.

                "A associação coloca-se sempre como ponte entre as religiões!” comenta Fr. Alberto. "Inicialmente, promovíamos atividades religiosas, musicais, teatrais e esportivas com molde cristão, em diferentes comunidades pequenas, em regiões com poucas possibilidades econômicas. Neste ano, por causa da pandemia, que não permitiu saídas, pensamostransformar a"casa deles"em lugar de diálogo inter-religioso".

                "The UpperRoom" é uma associação quepromove a consolidação de valores humanos fundamentais, através de apoio aos jovens de todos os cepos sociais, a fim de garantir uma experiência decrescimento pessoal (seja na Áustria ou na Índia) e a inserção no sistema escolástico (sobretudo na Índia). A associação ofereceespaço em que as questões sobre vida e sobre fé podem ser discutidas abertamente eonde os jovens podem descobrir e desenvolver seu eu mais profundo.

                O tema de campo, neste ano, éo livro de Jó, que contém diversos grandes temas, tais como o sofrimento, a esperança e a amizade, que une, entre si, as três religiões monoteístas, mas também o papel de Deus no momento em que acontecem os grandes desafios para o homem.O projeto final é a criação de um musical sobre o livro de Jó,escrito pelos jovens da Associação, na composição os jovens participantes trabalham durante toda a semana através de diferentes atividades lúdicas e de trabalhos propostos:ocupados, desde a criação das cenografias,todos os ensaios de canto, música, dança e recitação.A essas diversas atividades, há encontros de oração, entre esses, há uma oração inter-religiosa e uma ceia deshabbat conclusiva.

                "A esperança éa de abrir nosso Instituto a um novo objetivo interno: não somente formar músicos, mas pessoas capazes de conviver e abrir-se a outras religiões, rumo a toda a humanidade!" concluiu Fr. Pari.

Giovanni Malaspina