Jerusalém: duas semanas de estudo para leigos da Arquidiocese de Guadalajara (México)

De 30 de setembro a 13 de outubro, no Convento de S. Salvador, em Jerusalém, um grupo de trinta e um leigos, vindos da Arquidiocese de Guadalajara (México), voltou aos bancos escolares para uma semana de estudos bíblicos, à qual seguiu uma semana de visitas arqueológicas e peregrinação.
"Pensamos em nos aprofundar na Sagrada Escritura e no conhecimento da Igreja Mãe de Jerusalém, diretamente na Terra Santa, como boa oportunidade!” disse Fr. Marcelo Cichinelli, Discreto da Terra Santa e responsável pela Formação permanente. O objetivo do curso era o “de fornecer instrumentos para compreender o diálogo inter-religioso com o Hebraísmo e o Islão, assim nos preparar a fim de dar contribuição substancial e diferentes à Igreja local”.

O rico programa das aulas tocou em vários assuntos e ofereceu notáveis pontos de reflexão e meditação para o dia a dia. Dois foram os trilhos sobre os quais se moveu o curso: de um lado o aprofundamento da Sagrada Escritura, Antigo e Novo Testamento, com um foco sobre as Igrejas orientais, tanto a católica como a ortodoxa; de outro lado, forneceu um quadro geral sobre a Terra Santa e suas particularidades. Foram também tratados temas sobre o Judaísmo e o Islão por representantes dessas religiões. Durante a primeira semana, os participantes de Guadalajara tiveram a possibilidade de celebrar a Solenidade de S. Francisco com os Frades da Custódia. Foi mui significativo por ter sido no encerramento de um período de estudo sobre elementos da História da Custódia da Terra Santa.

"É algo que se poderia fazer em qualquer lugar, mas em Jerusalém assume outro significado, porque oferece uma visão sobre a Geografia e a História bíblica, depois de as ter estudado, a gente as pode viver, tocar e celebrar!” continuou Fr. Marcelo. Exatamente por isso a segunda semana foi dedicada às excursões bíblicas, aos lugares que habitualmente não são meta de peregrinação ordinária: a região da Samaria, a cidade de Hebron e diversas experiências como a visita às Mesquitas, Sinagogas e Igrejas locais, a fim de ver como se traduz concretamente aquilo que na semana anterior havia sido estudado de forma teórica.
"Essa colaboração nasceu graças aos Frades da Custódia da Terra Santa. Eles nos apoiaram em tudo, e Fr. Marcelo, que providenciou sua organização!" Disse Alejandro Gavaldon Mantilla, referência do grupo e seu organizador. "Isso é um programa piloto, no qual estávamos pensando há dois anos: poder dar uma forma diferente às peregrinações para os que já têm certo conhecimento dos principais lugares da História da Salvação. Esperamos que, com o mesmo apoio, também outros grupos tenham logo a mesma experiência!"

Giovanni Malaspina