Jerusalém: comemoração dos fiéis defuntos

O dia 02 de novembro, comemoração dos fiéis defuntos, é dia importante em todo o mundo católico. Também neste ano para a Paróquia latina de S. Salvador, situada no coração da Cidade Velha Jerusalém, foi data importante na qual a memória dos defuntos misturou-se com as tradições locais.

A jornada matinal começou com a celebração eucarística privada, em memória dos Frades falecidos. A seguir, a celebração paroquial, presidida por Fr. AmjadSabbara, pároco de S. Salvador e concelebrada pelo Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton e pelo Guardião do convento S. Salvador, Fr. Marcelo Cichinelli, na presença de Frades franciscanos do mesmo convento e alguns cristãos locais, que puderam participar.

Durante a homilia, Fr. Amjadfalou de viver a vida com Cristo, a fim de “nascer do alto”, como Jesus sugeriu a Nicodemos. "Em que modo o podemos fazer? A única estrada é a Eucaristia, que nos enche e nos abre à vida eterna e nos ajuda a compreender o sentido da vida eterna” - disse Fr. Sabbara. "Vivendo com Cristo, segundo o ensino das Bem-Aventuranças" - sublinhou o pároco -"podemos estar seguros de que, no momento de nossa partida, encontraremos a Ele mesmo, que nos acompanhará,como afirma o Evangelho de S. João: "Eu vou preparar-vos um lugar;e quando tenha ido e vos tenha preparado um lugar, retornarei e vos tomarei comigo, para que vós estejais onde estou eu!" (Jo 14, 2-3). Esse é o sentido dessa expectativa, esse é o sentido da morte: a vida eterna".

Após a Santa Missa, guiados pelos Kawas,pequeno grupo de Frades Franciscanos fez a tradicional breve procissão rumo aos três cemitérios do Monte Sião: aqueledosFrades, o dos estrangeiros e, finalmente, o dosparoquianos. Em cada um desses cemitérios foi feitomomento deoração, seguido pela bênção dos túmulos, aspergindo-os com a água benta.Diversos fiéis locais fizeram a tradicional visita aos sepulcros de seus caros, a fim de deixar uma flor ou uma vela acesa em sinal de recordação.

Um dia especial, sobretudo pelo momento em que nós nos encontramos por causa da pandemia do Covid-19. "Omedo dessa realidade facilita um retorno ao Senhor" - explicou o Fr. Amjad. "Através do medo está sendo descoberto o sentido pleno da vida, que abre à esperança. Não é fácil,especialmente para quem perdeu membros de sua família por causa da pandemia".

Giovanni Malaspina