Inauguração, em Paris, da mostra: “Os Guardiães do Túmulo de Jesus Cristo”

Cada ano, mais de dez milhões de turistas visitam a Basílica do Sagrado Coração, em Paris, o segundo lugar mais visitado na França depois da Catedral de Notre Dame. Enquanto o Sagrado Coração encerra as celebrações do jubileu de 100 anos de sua consagração, junto às suas portas encontra-se, pela primeira vez, uma exposição para o grande público. São vinte e nove fotos expostas, feitas por Thomas Coex, chefe do Departamento Fotográfico da Secção de Imprensa da Agência France Presse (AFP) de Jerusalém, de 2014 a 2019.

"Uma parte desse trabalho já havia sido exposta na Cúria do Convento S. Salvador, em Jerusalém, em junho de 2018. Na época, o Comissariado da Terra Santa de Paris manifestou o desejo de acolher a mostra. Após um ano de trabalho, esse projeto tornou-se realidade. É grande alegria para toda a Custódia e não poderia jamais agradecer suficientemente a Thomas pela sua energia e seu esforço. Esse lugar não é somente prestigioso, mas, sobretudo, lugar de oração. Espero que os turistas e os franceses, que verão a exposição, levem consigo, em suas orações, a presença cristã na Terra Santa", disse Fr. Stéphane Milovitch, responsável pelo Departamento dos Bens Culturais da Custódia Terra Santa, que participou da inauguração.

Thomas Coex, autor da mostra, não esconde sua emoção, pois afirma: "Nos 30 anos de serviço na AFP, não consegui trabalhar durante um período tão longo sobre um único assunto, que, além disso, não havia sido aberto primeiramente à imprensa internacional. Essa mostra é verdadeira conquista e me sinto privilegiado!" declarou durante a entrevista ao canal da televisão KTO. "Experimentei alegria de encontrar os Frades em profundidade: descobri pessoas humildes e generosas, que formam uma família, pessoas afetuosas, que doam seu tempo e sua vida aos outros. Suas ações educativas e sociais aproximaram-me deles. Fiquei surpreso, não pensava que teria encontrado tanta abertura. É essa a Igreja que me agrada!"

Nesta quinta-feira, 10 de setembro, também o Padre Stéphane Esclef, há pouco nomeado Reitor da Basílica, se alegra: "O lugar onde estão expostas as fotografias é muito usado. Ali passam turistas vindos de todo o mundo, que, passando, podem ver as fotografias. Considero essa mostra como gêmea espiritual entre os Lugares Santos e a Basílica do Sagrado Coração de Montmartre. Segue o convite do Papa Francisco à nossa Igreja a chegar às periferias das cidades. Muitos turistas não ousam entrar na Basílica. Essa mostra é mensagem: o coração de Jesus não deve permanecer confinado, no interior da igreja. A fotografia pode tocar o exterior da pessoa, mas, ao mesmo tempo, revelar algo importante na vida de quem crê!"

Como testemunha Julie, que, ao fazer jogging, para um momento diante das fotografias, "quando penso em Jerusalém, penso no mundo hebraico, mas é verdade que há também cristãos". Também Nicolas, jovem paroquiano do bairro comentou: "Não estamos habituados a ver os Franciscanos em Montmartre! Quando vejo estas fotos compreendo melhor porque o Santo Padre escolheu o nome Francisco, e enxergamos o aspecto concreto da vida franciscana".

Os mais ou menos duzentos hóspedes, presentes na inauguração, dirigiram-se, depois, aos jardins privados da Basílica do Sagrado Coração, excepcionalmente posto à disposição do evento. Personalidades da sociedade civil, do mundo político e consular, religiosos e padres diocesanos, Cavaleiros e Damas da Ordem Equestre do Santo Sepulcro, jornalistas, correspondentes e fotógrafos mergulharam por uma tarde-noite na atmosfera da Cidade Santa.

A entrada na mostra "Os Guardiães do Túmulo de Cristo" é gratuita e as fotos permanecerão expostas até o dia 13 de dezembro de 2020.

Um agradecimento especial à AFP e Canon pela realização desse projeto.

 

 

Emilie Rey