Exposição da Biblioteca da Custódia para celebrar Leonardo Da Vinci

Foi inaugurada na segunda-feira, dia 04 de novembro, e permanecerá aberta ao público até sexta-feira, dia 08: a mostra “Cinco séculos desde Leonardo da Vinci (1519-2019). Ciência e Tecnologia na Renascença, livros possuídos pela Biblioteca da Custódia da Terra Santa, em Jerusalém”. A exposição celebra a grandeza de Leonardo Da Vinci, cinquecentos anos depois de sua morte. A exposição, no salão da Cúria da Custódia, no convento S. Salvador, em Jerusalém, apresenta mais de trinta volumes, conservados na Biblioteca geral da Custódia da Terra Santa. Publicados entre os séculosXV e XVII na Europa, essas obras testemunham, ainda hoje, a enorme evolução das ciências entre a Idade Média e o Renascimento.

«Os volumes em exposição têm relação com Leonardo Da Vinciporque tratam de temas caros a ele», explicou o Prof. Edoardo Barbieri, docente da Universidade Católica do Sagrado Coração, em Milão,  e Diretor de “Livros Pontes de Paz”, projeto CRELEB (Centro de Pesquisa Europeia do Livro, Editoria, Biblioteca), no âmbito do qual se realiza a amostra, em colaboração com ATS pro Terra Sancta. Os visitantes são guiados num percurso, subdividido em secções temáticas: Ciências da terra, Geografia e Astronomia, Botânica e Zoologia, Medicina, Geometria e Arquitetura.

«Entre esses livros, alguns podem ter sido lidos por Leonardo, porque circulavam naquela época – continua o Prof. Barbieri -.A obra De Sphaera Mundi, por exemplo, um livro que ele devia conhecer porque era o manual-base da Astronomia e todos o conheciam. São livros que se avizinham ao mundo da cultura de Leonardo e ao que vem depois dele». 

Na inauguração da amostra estiveram presentes o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton;o Diretor da Biblioteca, Fr. Lionel Goh; e o Diretor dos Bens Culturais da Custódia, Fr. Stéphane Milovitch. 

«Quero recordar que um dos mais importantes colaboradores de Leonardo da Vinci foi um Frade franciscano, Luca Pacioli, estudioso de Geometria e Matemática – disse Fr. Lionel. Com seu conhecimento de Grego e Latim,Pacioli ajudou muitíssimo a Leonardo, que não sabia ler nenhum desses dois idiomas antigos. Isso digo para sublinhar que existe um laço muito forte entre a figura desse cientista italiano e os franciscanos». 

Nossa exposição encerra-se exatamente com a reprodução anastática de um texto de Luca Pacioli, doado pelo Advogado Paolo Tiezzi e trazido a Jerusalém pelo Prof. Barbieri e por seus estudantes, que trabalham com ele há muito tempo. Exatamente a eles o Professor agradeceu por ter curado a exposição e o catálogo.

«Essa exposição testemunha a abertura do mundo franciscano a todas as ciências e possibilita ver volumes que resistiram aos tempos», comentou o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton.

A amostra estará aberta até o dia 08 de novembro, das 9h às 18h, ingresso livre, no salão da Cúria da Custódia, no convento S. Salvador, em Jerusalém. 

Beatrice Guarrera