Docentes das escolas palestinas da Terra Santa, reunidos em Belém

«O ensino é vocação que vem de Deus. Como Deus enviou o Arcanjo Gabriel a Maria, Deus enviou a vós a estas crianças a fim de dar-lhes educação cristã e humana». Assim Fr. Ibrahim Faltas falou aos docentes das escolas palestinas da Terra Santa, reunidos em Belém, no dia 20 de dezembro, na igreja Santa Catarina. A Custódia queria desejar Feliz Natal aos docentes que trabalham em suas escolas na Palestina, com missa solene presidida pelo Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, na qual estava presente também Fr. Faltas, Diretor do Escritório Central das Escolas da Terra Santa, junto a outros Diretores dos Institutos. 

O trecho da Anunciação, proclamado no momento do Evangelho, inspirou ao Padre Custódio a reflexão sobre a maneira em que Deus entrou na vida da humanidade e em nossa: respeitando nossa liberdade, fazendo “proposta” de segui-lo, como com Maria. «O que nos pede Deus? Que consigamos fazer silêncio, a fim de meditar e ouvir a voz de Deus como o fez Maria!», disse Fr. Patton.
Os participantes da Missa vinham da Escola Hellen Keller, de Beit Hanina, de duas de Jerusalém, duas de Belém e de Jericó e Emaús. 
«Cada ano, celebramos uma Missa de Natal, mas cada escola a celebra por sua conta. A diversidade deste ano é termo-nos reunido em Belém – explica Irmã Frida, Diretora de uma das escolas de Jerusalém -. A educação dos jovens é mui importante e é importante que sejamos autônomos na vida. Possuir diploma, os ajuda a entrar na vida». A dirigente escolástica pertence às Irmãs de S. José da Aparição, Congregação que trabalha na Palestina, desde 1848. 

É de longa tradição, de fato, também ao nível de excelência das escolas da Terra Santa, reconhecida por parte de outros, tanto que somente a escola de Belém tem, por exemplo, 1.200 estudantes (dos 03 aos 18 anos). Em toda a Terra Santa, são ao menos dez mil jovens educados nas escolas da Custódia, que garantem formação a 360 graus e um contato entre jovens de diferentes religiões e diferentes tradições culturais. 
O encontro com os docentes das escolas prosseguiu, depois da missa, com breve procissão das crianças, desde a igreja de Santa Catarina até a vizinha sorveteria “O Cântico”. No exterior, o Padre Custódio benzeu a imagem de Jesus Menino, esculpida em madeira de oliveira pelo artista de Belém, o Zacarias. 

Beatrice Guarrera