A dedicação da Basílica do Santo Sepulcro

No dia 15 de julho, como é tradição, no Santo Sepulcro foi celebrada a Solenidade da Dedicação da Basílica do Santo Sepulcro.

O rito litúrgico da Dedicação, que prevê tanto a unção como a incensação do altar e das paredes do edifício, é oportuno a fim de que a Igreja seja sinal do único e verdadeiro Templo, que é o corpo de Cristo, formado pelos batizados. Apesar de que isso seja celebrado raramente, enquanto ligado à inauguração dos edifícios de culto, em Jerusalém esse rito litúrgico é recordado cada ano.

A Basílica do Anástasis ou Santo Sepulcro, feita construir a mando do imperador Constantino e de sua mãe Santa Helena, foi consagrada em setembro do ano 355. A Basílica atual, porém, é síntese dos edifícios constantinianos e das construções dos Cruzados, e foi dedicada no dia 15 de julho de 1149. A Basílica reúne os lugares ligados à morte e ressurreição de Jesus, sublinhando a unidade dos dois mistérios. Os mistérios que se realizaram neste lugar o tornaram santo, por isso essa solenidade celebra e renova mais uma vez a alegria pascal.

"Este é o lugar em que nosso louvor a Deus jamais deve cessar. Aqui o Aleluia, canto de alegria e de louvor por excelência, não devia jamais se apagar!" – disse, durante a homilia, o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, que presidiu a celebração. -  "Agradeçamos a Deus Pai, Filho e Espírito Santo por essa maravilhosa vocação e essa extraordinária missão que nos foi dada: de custodiar este lugar, de morar neste lugar, de celebrar neste lugar!”

Giovanni Malaspina