A bênção dos óleos em Betânia, na Segunda-Feira Santa

A Semana Santa na Terra de Jesus inicia em Betânia: na Segunda-Feira Santa, é tradição, os Frades franciscanos da Custódia da Terra Santa animam a missa na igreja de S. Lázaro, amigo de Jesus, com Marta e Maria. Naquela que o Padre Custódio definiu a “Casa da Amizade”, seis dias antes da Páscoa, se benzem o perfume e os aromas, que recordam o gesto de Maria. Como se lê no Evangelho, a irmã de Marta e Lázaro “pegou trezentos gramas de perfume de puro nardo e derramou-os nos pés de Jesus, depois enxugou-os com seus cabelos”.

O Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton, em sua homilia, explicou que “o gesto de Maria é profético, ajuda a compreender o valor profundo da amizade e nos ajuda a interpretar o que Jesus fará na hora de sua paixão, como gesto extremo de amizade para conosco”. Fr. Patton susteve-se sobre três conceitos de amizade: como dom gratuito e precioso, como profecia da vida e o cuidado dos pobres. “No perfume derramado sobre os pés de Jesus, há profecia não de morte, mas de vitória sobre a morte - disse Fr. Patton -: é sua vida doada por amor que leva a cada de nós para além da morte”. O Custódio deu aos presentes uma tarefa: perguntar-nos quão profunda seja a amizade de cada um de nós para com quem nos leva a ressuscitar.

Após a homilia, foi feita a bênção dos óleos. “Benzemos os aromas e o nardo – leu o diácono Fr. Ayman Batesh – porque desejamos recordar-nos o gesto de perfumar, feito a Jesus por Maria, a honra prestada ao corpo morto de Jesus por José da Arimateia e Nicodemos e a intenção das três mulheres que levaram aromas e perfumes ao túmulo vazio, no qual fora colocado o Senhor”. De Betânia, os aromas e o perfume serão levados às Paróquias e à Basílica do Santo Serpulcro, em que, na Sexta-Feira Santa, se fará a procissão fúnebre com a comemoração da morte e sepultura de Jesus.

Após a missa e devoção, seguiu-se momento de comunhão fraterna, organizado pelos Frades franciscanos do convento de Betânia e pelo Guardião Fr. Michael Sarquah. Uma ceia em clima de amizade, tal como o sentimento que Jesus levava a Betânia, a Lázaro, Marta e Maria.

Beatrice Guarrera
27/03/2018