800 anos do encontro entre S. Francisco e o Sultão

Em Jerusalém, no convento S. Salvador, sede da Custódia da Terra Santa, a partir do dia 30 de setembro, acontece uma série de conferências para celebrar o encontro entre o Pobrezinho de Assis e o Sultão Al-Malik Al-Kamil.

Os conferencistas foram acolhidos na primeira jornada por grande grupo de participantes e seguir-se-ão para “fundar e documentar historicamente que o encontro tenha sido no Egito, dando assim base às próprias celebrações”, disse Fr. NarcyzKlimas, vice-Arquivista da Custódia e organizador do congresso."Começamos a pensar neste Congresso já no ano passado”, comentou Fr. Klimas "e não esperávamos participação tão numerosa, sinal que haja interesse na atualidade dos temas escolhidos".

Diversos serão os encontros nos próximos dias. A começar pelo aprofundamento das fontes árabes pelo Doutor Bartolomeu Pirone, Professor da língua e literatura árabe, pelo estudo das fontes cruzadas e ocidentais do medievalista Doutor Antônio Musarra. Nos próximos dias, Mons. Felice Accrocca, Bispo de Benevento, fará uma análise do tema, à base das Fontes Franciscanas, e o Doutor Musarra tratará da “translação” franciscana dos Lugares santos, a qual liga Gréccio com Belém, Calvário com La Verna, com foco no Perdão de Assis.
Evento central, quarta-feira, 02 de outubro, com duas conferências pela manhã. A primeira, pelo Cardeal Leonardo Sandri, Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, sobre a atualizaçãodo significado do encontro entre S. Francisco e o Sultão no magistério e nos gestos do Papa Francisco; e a segunda, pelo Secretário geral da Ordem dos Frades Menores, Fr. Giovanni Rinaldi, que introduzirá uma atualização sobre a Ordem dos Frades Menores, ligada à presença dos Frades na Terra Santa. Para sublinhar a visita e o encontro com Muhammad Ahmad Hussein, GrandeMúfti de Jerusalém, dentro da Mesquita Al-Aqsa e, na tarde do dia 03 de outubro, a celebração do Trânsito de S. Francisco, que abrirá os festejos para o Santo.

Durante a semana, estarão presentes outras definições cristãs. Especialmente, na celebração da tarde, participarão representantes das Igrejas Ortodoxas, na segunda-feira; no dia seguinte, os representantes das Igreja protestantes e, na quarta-feira, as Igreja Católica Orientais.

"O objetivo é fazer memória desse encontro”, comentou Fr. Francesco Patton, Custódio da Terra Santa, "mas esse não está ligado apenas ao olhar para trás, porque esse encontro, acontecido há oitocentos anos, é ainda fundamental para superar a lógica do desencontro da civilização. De maneira especial, esse Congresso poderá ajudar-nos a atualizar a mensagem do encontro em linha continuada com o que propôs o Papa Francesco para a construção da paz, primeiramente em Abu Dhabi e, depois, no Marrocos. Esse encontro recorda-nos que há alternativa ao desencontro: a lógica do encontro, enfrentadocom o coração, espírito e atitude fraterna". 

Giovanni Malaspina